Médico descarta internação imediata de Arruda e pede exames

O médico pôde visitar o governador, que está preso desde o dia 11 de fevereiro, depois de uma autorização do STJ.

O médico Brasil Caiado esteve na noite desta terça-feira na Superintendência da Polícia Federal para examinar o governador afastado do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM). O médico pôde visitar o governador, que está preso desde o dia 11 de fevereiro, depois de uma autorização do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

"No momento não (precisa ser internado), mas acho que tem que aguardar. Amanhã ou depois de amanhã ele vai fazer uma colega ampla de exame de sangue, exame de urina, eletrocardiograma e a monitoração da pressão arterial, depois eu dou uma posição", afirmou.

O especialista ressaltou, contudo, que seria "irresponsabilidade" descartar totalmente a necessidade de internação. "Eu não sei ainda qual o quadro clínico todo. Estou aguardando os exames para definir", disse. "Seria irresponsável falar sem a complementação diagnóstica. Na verdade, a nossa posição é técnica, médica, respeito que nós temos pelo cidadão, pela pessoa e pela doença."

O médico também confirmou que o exame feito por Arruda ontem, em um hospital de Brasília, não apontou trombose. De acordo com o especialista, no entanto, ainda não está definido qual o problema no pé esquerdo do governador afastado.

"Esse exame ajudou a gente a raciocinar preliminarmente o diagnóstico, mas ainda não está definido o porquê do edema. Inicialmente se pensou numa trombose, mas o exame não confirmou", disse Caiado. "É muito comum ter trombose depois de uma cirurgia ortopédica. Isso ainda precisa ser esclarecido."

Segundo o médico, o exame realizado no hospital não apontou alteração, mas o exame clínico, sim. "Há uma diferença, talvez de interpretação", afirmou. Arruda deixou a sala na qual está preso pela primeira vez ontem, para submeter-se a exames no hospital JK, no setor sudoeste de Brasília.

Ele saiu da PF escoltado por agentes, depois de se queixar de dores. Caiado disse que a consulta desta terça, que durou pouco mais de uma hora, "foi só uma visita primeira para uma avaliação estritamente clínica".

"O quadro clínico dele é, no momento: uma hipertensão arterial que não está controlada, diabetes que não está controlado e edema no membro inferior direito a esclarecer, mais a depressão", disse.

O especialista esteve na PF acompanhado da mulher de Arruda, Flávia, com um dos advogados do governador, Thiago Bouza, e uma terceira pessoa que não se identificou.

Fonte: Terra