Médicos dizem que sangramento de Alencar está controlado

Médicos dizem que sangramento de Alencar está controlado

Vice-presidente recebeu telefonema de Lula na noite de Natal

O vice-presidente José Alencar reagiu bem às transfusões de sangue e às sessões de hemodiálise, segundo os médicos responsáveis pelo tratamento do vice-presidente. Roberto Kalil, um dos médicos que cuida da saúde de Alencar, afirmou neste sábado (25) que o sangramento na região abdominal está controlado e que o vice tem quadro estável.

- O vice encontra-se estável. Não apresentou sangramento.

Alencar recebeu um telefonema do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na noite da sexta-feira (24). O médico contou que o vice conversa normalmente com a família.

- [Alencar] está conversando com a família e falou por telefone com o presidente Lula ontem à noite, quando o presidente ligou para ele. O vice presidente vai permanecer na UTI e não tem novidades em relação a ontem. Os cuidados são os básicos de UTI, ou seja, transfusão de sangue e hemodiálise. Ele esta mais disposto hoje em relação a ontem.

O médico Paulo Hoff, que também acompanha o tratamento de Alencar, disse que uma nova cirurgia ainda está descartada. Alencar passou por um procedimento cirúrgico de emergência no dia 22, quando o vice teve uma hemorragia intensa.

- O que ficou bem determinado nessa [última] cirurgia é que infelizmente, pelo menos nas próximas semanas, nos próximos meses, a cirurgia não é uma opção. Então o tratamento agora é clínico. [...] Não é uma opção porque, pelo número de cirurgias anteriores, há dificuldades técnicas intransponíveis. É impossível fazer esse tipo de cirurgia nesse momento. Eventualmente o organismo pode se recuperar e um dia isso pode voltar a ser possível, mas não nos próximos meses.

Segundo relato dos médicos, o vice está otimista em relação à recuperação. Kalil contou que Alencar fala "a todo minuto" sobre a possibilidade de descer a rampa do Palácio do Planalto ao lado do presidente Lula, na semana que vem. O médico disse que o quadro de saúde será avaliado diariamente para definir se o vice poderá ir a Brasília.

- Isso nós vamos avaliar dia a dia. Vocês sabem o estado dele. Ele está na UTI, hoje está estável. O desejo dele é realmente ir a posse. Ele externou esse desejo. Ele fala a todo minuto isso. Durante a semana nós temos alguns dias aí e na sexta- feira nós podemos ou não programar essa ia dele [à cerimônia de posse].

Alencar passou a noite de Natal com a mulher, Mariza da Silva, e um dos filhos no hospital Sírio-Libanês. Na sexta-feira (24), Alencar voltou a ter sangramento na região do abdome e recebeu transfusão de sangue. O vice passou por sessão de hemodiálise e reagiu bem ao tratamento, segundo afirmou ontem o médico Raul Cutait.

Ontem, Cutait não descartou a chance de Alencar ir à posse da presidente eleita Dilma Rousseff, no dia 1º de janeiro.

Descer a rampa do Palácio do Planalto ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva é um dos desejos de Alencar, que foi internado às pressas na última quarta-feira (22) com uma grave hemorragia na região abdominal e teve de se submeter à cirurgia.

Na quinta-feira (23), Alencar recebeu a visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de Dilma. Lula disse que o vice quer participar da posse presidencial, no próximo dia 1º.

O vice-presidente havia recebido alta no último dia 17, após ficar 24 dias internado e ser submetido a uma cirurgia.

Durante a internação, Alencar passou por sessões de hemodiálise. O vice apresentou problemas em sua função renal. Antes, Alencar havia sofrido um infarto do miocárdio.

O vice-presidente Alencar, que tem 79 anos, e luta contra um câncer na região do abdome há mais de 13 anos. Na quarta-feira, passou pela 17ª cirurgia. Seu quadro de saúde tem se agravado nos últimos meses.

Fonte: R7, www.r7.com