Médicos do STF afirmam que Marco Prisco não precisa se tratar em casa

Vereador pediu prisão domiciliar ao STF, e ministro solicitou perícia médica. Em parecer enviado, cardiologistas dizem que paciente não tem cardiopati

Dois médicos do Supremo Tribunal Federal informaram ao ministro Ricardo Lewandowski, em parecer protocolado na noite de quarta-feira (15), que o vereador de Salvador Marco Prisco, um dos líderes da greve da Polícia Militar da Bahia ocorrida no mês passado, não precisa de tratamento hospitalar ou domiciliar.

A perícia médica foi feita a pedido de Lewandowski, após o vereador requerer prisão domiciliar em razão de seu estado de saúde. Ele informou ao Supremo ter sofrido infarto do miocárdio dentro da prisão, além de ter refluxo gástrico grave e úlceras hemorrágicas.

"Após avaliação da história clínica, exame físico, exames complementares e pareceres especializadosque se encontram apensos ao prontuário, concluímos que o paciente em epígafe não apresenta, no momento, evidência de cardiopatia que exija tratamentos hospitalar ou domiciliar", afirmaram os dois cardiologistas designados por Lewandowski para a avaliação.

Ricardo Lewandowski enviou o resultado da avaliação médica para análise da Procuradoria Geral da República e, depois que o procurador-geral Rodrigo Janot der um parecer, o ministro decidirá sobre o pedido de prisão domiciliar.

O vereador foi detido em abril em prisão preventiva para "garantia da ordem pública" após o início de uma paralisação da polícia baiana. Segundo a decisão, Prisco foi preso em razão de ação penal à qual responde sobre a greve da PM de 2012. O juiz entendeu que o Código de Processo Penal prevê a prisão de quem possa cometer novamente o crime pelo qual responde.

Prisco foi transferido na noite de quarta do Hospital de Base para o Hospital Regional da Asa Norte.

O vereador havia sido encaminhado para o Base no dia 4, após se queixar de fortes dores no peito. O vereador passou por procedimento cirúrgico e, na última quinta-feira (8), recebeu alta da Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Ele foi internado no local por ser a unidade que poderia dar maior suporte no atendimento e realizar "exames mais detalhados", segundo nota da Secretaria de Saúde.


Médicos do STF afirmam que Marco Prisco não precisa se tratar em casa
De acordo com a Secretaria de Saúde, como ele está em estado estável, não havia mais necessidade de que ele permanecesse na unidade. Ele foi transferido para o Hospital Regional da Asa Norte por volta das 19h.

Ainda segundo a pasta, o Prisco vai passar por novos exames nesta quinta e não há previsão de alta. A assessoria da Associação de Policiais e Bombeiros e seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra) disse que o vereador perdeu 15 kg depois da internação. A informação não foi confirmada pela secretaria.

Fonte: G1