Meirelles se filia ao PMDB e diz que fica no BC até março

Presidente do BC filiou-se ao partido nesta quarta-feira (30), em Goiânia.

 Recebido com fogos de artifício pelos dirigentes locais do PMDB em Goiás, o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, se filiou ao partido nesta quarta-feira (30)procurando afastar futura ingerência política em sua atuação à frente do banco.

"O meu projeto hoje aqui é me tornar mais um membro do partido, somar, compartilhar minha visão. Amanhã vamos continuar trabalhando", disse em discurso. Ao mercado financeiro, ele reafirmou o compromisso do BC com a política econômica.

"O recado é que o Banco Central tem compromisso realmente inequívoco com as metas de inflação, e o meu compromisso com as metas de inflação e com a estabilidade econômica e o sistema de câmbio flutuante continuará absolutamente inabalável", disse. Meirelles afirmou que, se deixar o comando do Banco Central, o rumo da instituição e a manutenção da estabilidade econômica terão a garantia do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Ele disse que ainda não decidiu se será candidato e descartou interesse pelo governo do Estado de Goiás, reafirmando que tomará uma decisão até março do ano que vem. "Não sou candidato a nada neste momento", disse Meirelles a jornalistas ao desembarcar no aeroporto de Goiânia. "Vou continuar 100% focado no BC até pelo menos março de 2010 (...) Não vou participar da política partidária com certeza até março de 2010", garantiu.

Mercado Meirelles, de 64 anos, descartou que sua filiação ao PMDB influencie expectativas do mercado. "Se em algum momento eu sair do Banco Central, o presidente (Lula), em respeito à população, sempre tem o compromisso com a estabilidade econômica, qualquer que seja a pessoa que venha a ser nomeada para o Banco Central", declarou Meirelles.

"Enquanto eu estiver no Banco Central, o Banco Central manterá o mesmo tipo de desempenho que tem mostrado até agora." Segundo ele, não é possível assumir nenhuma candidatura agora. "Em nenhum momento pode haver qualquer distração na condução dos assuntos econômicos brasileiros", acrescentou. Discurso Em seu discurso, o presidente do BC mencionou a manutenção do emprego.

"A criação de empregos mostra a capacidade do Brasil de crescer. É resultado de uma política econômica responsável. Isso não é resultado de mágica, é resultado de decisões de coragem, de seriedade e que levam em conta o interesse do país", disse.

Meirelles, natural de Anápolis (GO), venceu a eleição para a Câmara dos Deputados pelo PSDB goiano em 2002, mas renunciou ao mandato para ocupar a direção do BC a convite de Lula. Estavam presentes ao ato de filiação o prefeito de Goiânia, Iris Rezende, e Maguito Vilela, prefeito de Aparecida de Goiânia e ex-governador do Estado. O presidente licenciado do PMDB, deputado Michel Temer, não compareceu. Meirelles deve embarcar nesta quarta-feira para Copenhague, na Dinamarca, onde se junta à comitiva do presidente Lula para o anúncio da cidade-sede das Olimpíadas 2016, em que o Rio de Janeiro é favorito.

Fonte: g1, www.g1.com.br