Michel Temer diz que uso de passagens deveria ser proibido a parentes de deputados

A proposta é proibir parentes, amigos ou qualquer outra pessoa de viajar na cota dos parlamentares.

Em meio a uma onda de denúncias, o presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer (PMDB-SP), afirmou nesta terça-feira (21) que o uso de passagens aéreas deve ser restrito aos parlamentares.

Depois de semanas de denúncias, Temer diz que agora vai impor limites aos deputados e convocou para esta quarta-feira (22) uma reunião da mesa diretora da Câmara.

A proposta é proibir parentes, amigos ou qualquer outra pessoa de viajar na cota dos parlamentares. Todo o gasto com passagens seria colocado na internet.

"Isto é coisa de vinte, trinta anos, não é coisa de agora, não é? Neste momento, eu diria a você: o correto é manter passagem só para o parlamentar", disse Temer.

Na véspera, Temer admitiu ter emitido passagens aéreas de sua cota para familiares. Por meio de nota divulgada à imprensa por sua assessoria, Temer admitiu o repasse do benefício e anunciou que a Casa dará ?transparência absoluta? aos gastos dos parlamentares.

"Equívoco"

O deputado Fernando Gabeira (PV-RJ) admitiu que cometeu um equívoco ao usar a cota de passagens dele para patrocinar viagens de parentes.

Gabeira não quis gravar entrevista. Por telefone, disse que vai devolver o dinheiro e que apoia mudanças que limitem o uso das passagens.

Até quem devia fiscalizar, entrou na "farra" das passagens. Segundo o site Congresso em Foco, o ministro Augusto Nardes, do Tribunal de Contas da União, voou na cota do deputado Otávio Germano (PP-RJ).

A assessoria do ministro diz que ele não sabia. A secretária do deputado assumiu a responsabilidade pela emissão do bilhete. Disse que fez isso para ajudar a colega, secretária de Augusto Nardes, que não tinha conseguido passagem para o ministro viajar.

A assessoria de Nardes diz que o favor foi pago com outro bilhete.

Fonte: g1, www.g1.com.br