Militante do PSTU desafia vereadores de Tereisna nas redes sociais

Militante faz vídeo desafiando vereadores e posta nas redes sociais

Image title

Em vídeo postado nas redes sociais, a professora da rede municipal de Teresina e militante do PSTU, Luciane Santos, desafia os vereadores de Teresina a aderirem ao transporte coletivo da capital e a abdicarem da verba destinada ao aluguel de carros e custeio de gasolina. “Queremos fazer um desafio aos vereadores de Teresina. Abrirem mão da verba que recebem para transporte e a partir de hoje, irem de ônibus para a câmara municipal nos dias de sessão”, desafiou a militante que é professora da rede municipal de educação.

Após ser rejeitado pela Câmara Municipal por 11 votos a 10, o Projeto de Lei que obriga a inclusão do sistema de ar-condicionado nos ônibus coletivos tem gerado polêmica entre os teresineneses. Indignados com o resultado da votação, muitos usuários do sistema de transporte têm desafiado os vereadores de Teresina a vivenciarem a rotina de quem depende do transporte público municipal para se locomover.

“Pegar ônibus nessa cidade é um sofrimento, o transporte público de Teresina é um caos. A quantidade de ônibus é inferior a necessidade da população. Com isso as mulheres, em especial as mulheres negras e pobres que moram longe nas periferias e que precisam utilizar o transporte coletivo, são as mais atingidas com a precarização e sucateamento do transporte. Além disso, ficam mais vulneráveis à violência sexual quando andam em ruas mal iluminadas e paradas de ônibus sem seguranças”, explicou Luciane Santos, que também faz parte do Movimento Mulheres em Luta (MML).

“Nos horários de pico, somos colocados em situação subumanas com os ônibus superlotados e muito quentes. Com a superlotação as mulheres ainda ficam submetidas ao assédio sexual dos homens, que se aproveitam do aperto para abusar sexualmente das mulheres”, alertou.

Ao ser questionada sobre o motivo da rejeição de um projeto que beneficia diretamente trabalhadores e estudantes a professora respondeu: “Na verdade, todos sabemos a resposta. As empresas de ônibus estão entre os maiores financiadores de campanha, tanto do prefeito Firmino Filho do PSDB, quanto desses vereadores”, denunciou.

De acordo com o programa político defendido pelo PSTU, a saída para os problemas no transporte coletivo de Teresina está na municipalização do serviço, que atualmente é gerido pelo sindicato patronal SETUT , Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Teresina. Para o programa do partido, através de uma empresa pública seria possível acompanhar e redistribuir a manutenção do transporte coletivo na capital, tornando-o público e garantindo a redução da tarifa e o passe livre para estudantes e desempregados.


Vídeo

Fonte: Portal MN