Ministra diz que pesquisa eleitoral ficará sob sigilo até dezembro

Nilcéa Freire encomendou pesquisa sobre a participação das mulheres nas eleições deste ano.

A ministra da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, Nilcéa Freire, afirmou nesta quarta-feira que vai cobrar do instituto que for contratado para realizar pesquisa sobre a participação das mulheres nas eleições de 2010 o compromisso de não divulgar os resultados antes de dezembro, quando será realizado um seminário sobre o tema.

O objetivo, explicou a ministra, é impedir que algum candidato ou grupo se beneficie das informações coletadas no processo eleitoral deste ano. Ela disse que o compromisso será formalizado em cartório. Nilcéa Freire participou de audiência pública na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle sobre os motivos da contratação desta pesquisa, cujo custo é estimado em R$ 1 milhão.

O requerimento para realização da audiência foi apresentado pelo deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP). Ele considera que a realização da pesquisa ?pode dar conotação de favorecimento, com recursos públicos, do candidato do governo?, o que também foi negado pela ministra.

Espaços de poder

O processo ainda está em fase de recebimento de propostas, que podem ser apresentadas por núcleos e grupos de pesquisa de universidades públicas, institutos ou fundações universitárias de pesquisa. A divulgação do resultado da concorrência no Diário Oficial da União está prevista para o dia 3 de maio.

Segundo a ministra, o objetivo da pesquisa é investigar os motivos que distanciam as mulheres das disputas pelos ?espaços de poder e de tomada de decisão? no Brasil. O resultado será utilizado na orientação das políticas públicas desenvolvidas pela secretaria.

Na última campanha majoritária, foram eleitas 46 deputadas federais ? o que corresponde a 9% das 513 vagas ? e 10 senadoras ? 12% das 81 cadeiras. Nas câmaras municipais, o cenário é semelhante: 12% dos vereadores eleitos em 2008 eram mulheres.

Fonte: Camara