Ministro afirma que vice de Serra teve "comportamento de idiota"

Reportagem procurou assessoria de deputado do DEM e aguarda resposta

O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, afirmou nesta segunda (19) que o deputado Indio da Costa (DEM-RJ), candidato a vice na chapa do presidenciável José Serra (PSDB), teve um "comportamento de idiota" ao relacionar o PT às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e ao narcotráfico.

"Eu acho que esse comportamento desse rapaz mostra que ele não está preparado. É uma pessoa despreparada e é ruim inclusive para o candidato da oposição colocar uma pessoa que se comporta como idiota. Porque, francamente, o comportamento dele é um comportamento de idiota", declarou o ministro depois de participar da cerimônia de assinatura da medida provisória sobre as obras do Mundial de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016, no Palácio do Itamaraty.

A assessoria do deputado Indio da Costa, informou que irá consultá-lo para saber se ele pretende comentar a declaração de Bernardo.

Pelo microblog Twitter, Indio da Costa postou nesta segunda (19) a seguinte mensagem: "PT não faz narcotráfico. As Farc, sim."

Na sexta-feira, em declaração para o site da campanha tucana, Indio da Costa ligou o PT às Farc e ao narcotráfico. "Todo mundo sabe que o PT é ligado às Farc, ligado ao narcotráfico, ligado ao que há de pior. Não tenho dúvida nenhuma disso", disse. Também no mesmo dia, ele publicou no Twitter críticas à candidata Dilma Rousseff, chamando-a de ateia e "esfinge do pau oco".

O presidente do PT, José Eduardo Dutra, procurou não sobrevalorizar o episódio em seus comentários no Twitter neste domingo.

?Meus amigos. Hoje é dia 18 de julho. Não é dia 19 de abril (Dia do Índio). Vocês não acham que estão gastando muita vela com defunto ruim??, perguntou no fim da noite de domingo. Ele anunciou que discutiria a questão nesta segunda com o dirigente do PT José Eduardo Cardoso.

Na tarde de sábado (17), Dutra não afirmou se levaria adiante medidas judiciais contra o vice de Serra. ?Esse Indio desqualificado quer ser processado. O problema é que ele não vale o custo do papel necessário para a petição".

Em compromisso em São Paulo no domingo, a presidenciável do PV, Marina Silva, criticou os comentários do vice de Serra.

"Aprendi com os índios da Amazônia que é muito importante estar bem preparado politicamente, tecnicamente e inclusive emocionalmente para pretender o lugar de cacique. É preciso muita maturidade? Talvez o deputado Índio [da Costa] ainda não esteja suficientemente preparado para ser cacique do Brasil", disse.

Aliados

O ex-governador Orestes Quércia (PMDB), que participa da base de apoio de Serra em São Paulo, disse na tarde de domingo que há omissão do governo federal em relação ao combate ao tráfico, mas que as afirmações de Indio devem ser entendidas como ?opinião pessoal?.

?Não é o momento para fazer este tipo de relação?, disse. O ex-governador disse que não partilha da mesma opinião de Indio. Abatido com a morte do amigo Luiz Roberto Barradas Barata, Serra deixou o velório sem comentar as declarações do vice.

O líder do DEM na Câmara dos Deputados, Paulo Bornhausen, saiu em apoio ao colega. ?Indio falou o que todos já sabem: o PT tem ligações umbilicais com as Farc, que por sua vez vive do narcotráfico. O q falta é a Justiça agir!?, disse em seu perfil no Twitter.

Fonte: g1, www.g1.com.br