Ministro da Justiça diz que fraude com diploma não vai afetar Mais Médicos

Segundo o ministro, ainda será investigado se a quadrilha conseguiu validar algum diploma de forma fraudulenta para o trabalho no país.

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse que as investigações da Polícia Federal sobre tentativas de fraudes no Revalida em Mato Grosso não atingiram o Programa Mais Médicos.

De acordo com ele, 41 brasileiros tentaram revalidar diplomas "questionáveis" de medicina obtidos na Bolívia de forma fraudulenta na Universidade Federal do Mato Grosso. A universidade fez um relatório sobre o problema à Polícia Federal em junho que, então, abriu inquérito para apurar o crime. Hoje pela manhã foram cumpridos mandados de busca e apreensão na operação denominada "Esculápio".

Segundo o ministro, ainda será investigado se a quadrilha conseguiu validar algum diploma de forma fraudulenta para o trabalho no país.

Mas ele garantiu que nenhum profissional entrou no Programa Mais Médicos por essa forma. Segundo ele, a polícia identificou que a quadrilha estava tentando obter entrada nesse programa através de decisões judiciais. Mas o programa não admitiu a entrada de nenhum médico por decisão da Justiça.

"Todas as decisões judiciais sobre o Mais Médicos foram derrubadas pela AGU e pelo Ministério da Saúde", afirmou Cardozo.

O ministro da Justiça afirmou que conversou pela manhã com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e os dois chegaram ao entendimento que a operação ajudaria o Mais Médicos já que evita a tentativa de entrada de mau profissionais no programa.

Cardozo não quis comentar sobre a suposta participação de diplomatas bolivianos na fraude.

Fonte: UOL