Ministro diz que Bolívia assegurou julgamento "isento" de corintianos

Doze brasileiros estão presos desde fevereiro devido à morte de torcedor.

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse nesta sexta-feira (19) que a Justiça boliviana garantiu a ele que será "isento" e feito a partir de "critérios objetivos" o processo de julgamento dos 12 corintianos presos desde fevereiro naquele país, na cidade de Oruro.

Cardozo viajou à Bolívia nesta semana para tratar da situação dos brasileiros, acusados de envolvimento na morte do boliviano Kevin Espada, de 14 anos. O torcedor morreu depois de ter sido atingido, dentro do estádio, por um sinalizador durante o jogo entre Corinthians e San José, pela Copa Libertadores.

O ministro reuniu-se na cidade de Sucre com o procurador-geral da Bolívia, Ramiro Guerrero, e com o ministro do Interior, Carlos Romero, na capital La Paz.

Segundo Cardozo, as autoridades ?garantiram que o processo será rápido, que tomarão todas as medidas para agilizar essa decisão?.

?Eu obtive a garantia dos membros do governo boliviano de que será um processo decidido com critérios objetivos, a partir de provas, onde se buscará ao máximo aplicar sanções, se elas forem devidas, àqueles que estão lá. E se não forem devidas, com o final reconhecimento da absolvição. Tive a garantia e a palavra final do governo boliviano de que será um processo isento e não tenho razão de duvidar disso?, declarou o ministro após participar de cerimônia no Ministério da Justiça, em Brasília.

José Eduardo Cardozo propôs, segundo relatou, o compartilhamento de informações entre as justiças brasileira e boliviana.

?Manifestei o desejo de que provas produzidas no Brasil relativamente a essa questão, que estão sendo produzidas no processo que corre em São Paulo, pudessem ser encaminhadas para subsidiar o Judiciário boliviano como também pedir que provas produzidas na Bolívia pudessem ser mandadas para a Justiça brasileira, para que pudessem também subsidiar a nossa decisão?, afirmou o ministro.

Fonte: G1