Ministro do Turismo quer retomar Rota das Emoções e Prodetur

Novo projeto vai abranger Rota das Emoções Ananias Ribeiro

O ministro interino do Turismo, Roberto Alves, estabeleceu um cronograma para agilizar a conclusão de obras turísticas importantes para o Piauí. Em reunião com o governador Wellington Dias, o secretário de Estado do Turismo, Flávio Nogueira, e o superintendente de Representação do Estado em Brasília, Roberto John, o ministro manifestou interesse na retomada da Rota das Emoções e sinalizou para o retorno do Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur).

Uma das obras prioritárias é o aeroporto da cidade de São Raimundo Nonato, que ainda necessita de recursos para obras complementares. Há também uma emenda do deputado Paes Landim para asfaltamento urbano e saneamento na parte histórica da cidade, que se soma com investimentos próprios do Estado.

Entendimentos foram iniciados com relação a novos investimentos, como o Centro de Eventos de Teresina. "Temos empenhados R$ 40 milhões. Apresentamos um cronograma, o ministério deu parecer favorável e agora temos que tratar com o Ministério do Planejamento sobre o cronograma de liberações", esclarece o governador, destacando o esforço para a conclusão do Centro de Convenções de Teresina.

A retomada da Rota das Emoções, que envolve os Estados do Piauí, Maranhão e Ceará, mais 12 municípios e diversos órgãos federais, foi outro tema da reunião.

A proposta é realizar um encontro no litoral piauiense e ter um integrante da equipe ministerial, visando revitalizar essa que é a primeira experiência de consórcio na área e que extrapola o turismo, incluindo comunicação, infraestrutra, saneamento, dentre outros.

O objetivo, segundo o governador, é focar no turismo externo. "O turismo interno já quadruplicou em relação a 2005, quando iniciamos o consórcio. No orçamento deste ano consta uma rubrica do Ministério para a Rota das Emoções.

Cerca de R$ 3,6 milhões, para qualificação, implantação de hotel-escola nas cidades polos, gastronomia, dentre outros", lembra.

Fonte: Ananias Ribeiro