Ministros avaliam que Cunha perdeu condição de comandar Câmara

Esse assunto tem de ser resolvido politicamente pelo Congresso

Ministros do Supremo Tribunal Federal avaliam que as contradições entre a defesa apresentada pelo deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) sobre as acusações contra ele e as investigações da Procuradoria-Geral da República fragilizaram ainda mais as condições para a permanência dele no cargo de presidente da Câmara.


Image title

Ao menos cinco dos 11 ministros do Supremo consideram que Cunha "caiu em desgraça" e que sua presença no comando da Câmara "atrapalha a agenda do País", provocando uma espécie de "nó político", sem uma solução à vista.

Por ora, a maioria da Corte considera "drástico demais" um eventual afastamento de Cunha do comando da Câmara e duvida que o Ministério Público Federal formalize tal pedido tão cedo. "Esse assunto tem de ser resolvido politicamente pelo Congresso", disse um ministro do STF.

Outro integrante do Supremo ressaltou que os ministros não querem ser acusados mais uma vez de "judicializar a política". "Nós temos de nos manifestar nos autos do processo. Por enquanto, só conhecemos a defesa pela imprensa", afirmou.

Fonte: Com informações do Brasil Post