Ministros, vice e líder do PMDB se reúnem para a "paz"

Encontro reuniu Temer, Palocci, Luiz Sérgio e Henrique Eduardo Alves

O vice-presidente Michel Temer, o ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, o ministro das Relações Institucionais, Luiz Sérgio, e o líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), se reuniram na manhã desta terça (11) e decidiram colocar fim aos desentendimentos públicos por cargos no governo.

Segundo apuramos, no encontro de pouco mais de 40 minutos, no gabinete de Temer, petistas e peemedebistas firmaram um compromisso segundo o qual todas as negociações de cargos passarão a ser feitas de maneira interna, sem troca de farpas ou recados por meio da imprensa.

?Todas as questões serão tratadas internamente porque todos [PT e PMDB] são governo e vão agir como governo?, afirmou um dos participantes da reunião, para quem o objetivo do encontro foi selar a "paz".

Questões emergenciais que causaram desconforto entre os dois partidos governistas, como os cargos na Fundação Nacional da Saúde (Funasa), antiga cota dos peemedebistas, deverão ser tratados na tarde desta terça pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e o peemedebista Henrique Eduardo Alves.

Recados

No dia 4 de janeiro, após uma reunião da cúpula partidária, Henrique Eduardo Alves afirmou que o PMDB acataria a decisão da presidenta Dilma Rousseff de transferir para depois da posse do novo Congresso a discussão sobre a partilha de cargos do segundo escalão.

Com um discurso de conciliação, Alves cobrou ?diálogo? e ?respeito? do Planalto e afirmou que o PMDB não iria se ?acotovelar? em busca de mais espaço no governo.

?Já viramos a página da discussão do primeiro escalão. Todos sabem que o PMDB ? não há porque negar ? perdeu substância, mas somos governo hoje e não vamos nos acotovelar em busca de espaço no governo?, afirmou Alves.

A notícia de que, apesar da decisão de Dilma de adiar as nomeações no segundo escalão, ministros do PT continuavam a preencher com aliados cargos no segundo escalão agravou a relação entre petistas e peemedebistas.

Os peemedebistas chegaram a pleitear ssento na coordenação política do governo. Esse assunto, no entanto, ficou fora da reunião realizada no gabinete de Temer nesta terça, segundo reportagem.

Fonte: g1, www.g1.com.br