Morales irá à posse de Dilma, apesar de protestos na Bolívia

Evo Morales confirmou presença na cerimônia

O porta porta-voz da presidência da Bolívia, Iván Canelas, informou nesta quinta-feira que o presidente Evo Morales assistirá à posse de Dilma Rousseff neste sábado, apesar da crise social em seu país, provocada por um aumento de preços de até 83% dos combustíveis.

"O presidente está viajando no dia primeiro de janeiro ao Brasil", disse o porta-voz presidencial. Na semana passada, Canelas havia informado que Morales "foi convidado pelo presidente Lula e pela presidente eleita (Dilma Rousseff) para participar da posse". A Bolívia é o principal fornecedor de gás natural ao mercado brasileiro, com média de 30 milhões de metros cúbicos diários.

A cerimônia de posse da presidente eleita Dilma Rousseff já tem confirmada a presença de representantes de mais de 130 países. De acordo com o Itamaraty, até esta quinta-feira 12 chefes de Estado anunciaram que participarão do evento, além de 12 chefes de governo. Além de Evo Morales, devem acompanhar o evento a secretária de Estado amerciana, Hillary Clinton, o presidente da Venezuela Hugo Chávez e o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas.



Protestos na Bolívia

As principais cidades da Bolívia enfrentaram nesta quinta-feira protestos e greves no sistema de transporte, após o governo ter anunciado um aumento no preço dos combustíveis. Divulgada pelo presidente Evo Morales no domingo, a medida determina um reajuste de 72% para a gasolina e de 83% para o diesel. O anúncio gerou rumores de que haveria confisco de poupanças, provocando corrida aos bancos do país.

Fonte: Terra, www.terra.com.br