Movimento diz que Henrique Alves se comprometeu a "enterrar cura gay"

O texto propõe a suspensão da validade de dois artigos de uma resolução do Conselho Federal de Psicologia, em vigor desde 1999

Após encontro nesta quarta-feira com o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), o representante do movimento Juntos, Rodolfo Mohr, disse que o deputado peemedebista assumiu o compromisso de pedir urgência para a tramitação do projeto da "cura gay" (PDC 234/11). Segundo Mohr, Henrique Alves teria afirmado que a Casa vai "enterrar" a proposta. O movimento informou que, no dia da votação, vai ocupar as galerias para pressionar pela rejeição do PDC. As informações são da Agência Câmara.

O texto propõe a suspensão da validade de dois artigos de uma resolução do Conselho Federal de Psicologia, em vigor desde 1999, que proíbe os profissionais de participar de terapia para alterar a orientação sexual e de tratar a homossexualidade como doença. Os profissionais também não podem adotar ação coercitiva a fim de orientar homossexuais para tratamentos não solicitados

Também de acordo com o representante do movimento Juntos, Henrique Eduardo Alves teria assumido compromisso de, antes de colocar em votação o Estatuto do Nascituro (PL 478/07), consultar o movimento das mulheres sobre a proposta. O projeto de lei, apelidado de "bolsa estupro" prevê, entre outros pontos, o direito ao pagamento de pensão alimentícia, equivalente a um salário mínimo, às crianças concebidas de estupros.

Fonte: Terra