Ministério Público investiga Prefeitura de THE e Quálix

De acordo com o vereador, a Quálix é contratada por cinco anos a um custo de R$ 118 milhões, podendo o valor ser reajustável em 20%

O Ministério Público abriu um procedimento investigatório contra a empresa que realiza a coleta de lixo em Teresina, a Quálix. A informação é do vereador R. Silva (PP), que foi convidado pela promotora Cléa Cristina Pereira para participar de uma audiência no próximo dia 05 de maio junto com os vereadores da capital Décio Solano (PT) e Rosário Bezerra (PT). Os três foram responsáveis por elaborar um relatório onde mapearam 104 lixões em Teresina. Eles entregaram o balanço ao Tribunal de Contas e a Procuradoria Geral de Justiça no início de março.

?Pedimos que a empresa Quálix seja retirada urgentemente desse serviço. O prefeito Elmano Férrer (PTB) disse que ia considerar o relatório para tomar as medidas no sentido de resolver a questão, mas até agora nada foi feito?, argumenta R. Silva. Segundo ele, ainda na gestão de Sílvio Mendes (PSDB) na PMT, foi alegado que o contrato vigente com a empresa seria cancelado, para que um novo edital fosse aberto.

De acordo com o vereador, a Quálix é contratada por cinco anos a um custo de R$ 118 milhões, podendo o valor ser reajustável em 20%. ?São R$ 2 milhões mensais gastos em coleta, mas a população só reclama que os caminhões não passam no horário e dia previsto, além dos lixões clandestinos?, explica. (S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte