MPE receberá relatório de ações da PMT

Os vereadores R. Silva (PP) e Décio Solano (PT) participaram de uma caminhada que sairá da sede do 25º BC

Os vereadores R. Silva (PP) e Décio Solano (PT) participaram de uma caminhada que sairá da sede do 25º BC com destino ao Ministério Público Estadual (MPE), a fim de entregar relatórios sobre a problemática dos atingidos pelas enchentes e sobre a suspensão do Orçamento Popular de 2010. Também participam do manifesto membros de associações e populares. Nos relatórios, os parlamentares levarão pedidos de providências junto à Prefeitura de Teresina.

Segundo os parlamentares, as pessoas que foram vítimas das enchentes do começo deste ano estão voltando para os mesmos lugares onde moravam, quando foram vitimadas. Mas, as reclamações dos vereadores não se concentram somente nisso: a Prefeitura de Teresina resolveu suspender o Orçamento Popular para o próximo ano, mesmo com a contestação, ao menos, dos membros da ala opositora.

O petista Décio Solano informou que o problema enfrentado pelas vítimas das enchentes pode piorar, já que uma possível solução, através do Orçamento Popular, já não é mais possível, por causa da suspensão do orçamento. O vereador afirmou que no dia 17 de agosto deste ano enviou à Prefeitura de Teresina um protocolo, pedindo abertura de discussão sobre o assunto. ?Até hoje, dia 1º, nunca obtive nenhum retorno?, enfatizou, durante a sessão de ontem, na Câmara Municipal.

Para R. Silva, a Prefeitura deixa de lado as causas da população, já que a suspensão do Orçamento subtende corte de ações diretamente ligadas aos populares. ?Nós só teremos recursos para o ano de 2011, com a suspensão do Orçamento do próximo ano. Isso prova que a Prefeitura não está interessada nos problemas da população, que não dá a devida prioridade que o povo merece. O fato é que os problemas precisam de solução agora, e não em 2011?, frisou o parlamentar.

A justificativa da Prefeitura de Teresina diz respeito à crise financeira. Para o órgão, foi preciso uma redução de gastos, por causa das dificuldades enfrentadas neste ano.

Fonte: Francisco Lima e Flávio Moura