MT terá prefeito mais rico do país com fortuna de R$ 144 milhões

Otaviano tem 53 anos, investe há mais de duas décadas nos mesmos negócios e na mesma região.

Lucas tem 24 anos e, apesar da pouca idade, é um importante produtor de soja, milho e algodão no interior do Mato Grosso. Mais recentemente, passou a investir na pecuária. Os negócios ganharam escala chinesa e vão lhe assegurar R$ 144 milhões na conta em 2013.



Otaviano tem 53 anos, investe há mais de duas décadas nos mesmos negócios e na mesma região. Virou acionista majoritário de uma das maiores companhias agrícolas do país e tem em patrimônio declarado mais que o dobro de Lucas: R$ 321 milhões.

Lucas do Rio Verde é uma cidade com cerca de 50 mil habitantes que fica a 350 km de Cuiabá (MT). E Otaviano Pivetta (PDT) será seu prefeito a partir de janeiro.

A vitória em Lucas nas eleições rendeu a Otaviano o posto de novo prefeito mais rico do país. "Só ser for entre os que declaram. Infelizmente, há tanta gente que não declara o que realmente tem. Eu declaro todos os meus bens pelo valor real", diz.

Apesar da modesta receita anual da cidade, menos da metade da soma de seus bens, o empresário pedetista teve de investir alto para voltar a ser prefeito. Ele já governou Lucas entre 1997 e 2004 e elegeu seu vice, o atual prefeito Marino Franz (PPS).

Ex-deputado estadual e ex-secretário do governo do hoje senador Blairo Maggi (PR), Otaviano travou um duelo milionário com o primo Rogério Pivetta Ferrarin (PMDB). Cada um investiu cerca de R$ 1 milhão nas respectivas campanhas. Otaviano venceu com 2.277 votos de diferença.

Quase toda a campanha foi financiada com recursos próprios obtidos dos lucros das empresas. A maior delas, a Vanguarda do Brasil, fica na vizinha Nova Mutum (MT), que será governada pelo irmão Adriano Pivetta (PDT), com bens de R$ 16,7 milhões.

O envolvimento de empresários milionários na política da região não é um fenômeno restrito à família Pivetta. Levantamento feito pela Folha mostra que Mato Grosso concentra os futuros chefes de executivos municipais mais ricos do país.

Os prefeitos eleitos para administrar os 141 municípios do Estado declararam à Justiça Eleitoral R$ 825 milhões em bens, média de R$ 5,9 milhões por político.

O segundo colocado no ranking dos mais ricos em todo o país é o futuro prefeito de Cuiabá, capital do Mato Grosso. Mauro Mendes (PSB), que venceu o petista Lúdio Cabral no segundo turno, declarou neste ano ter R$ 116,8 milhões de patrimônio.

O valor é o dobro dos R$ 57,1 milhões que ele informou em 2010, quando disputou o governo do Estado. Na ocasião, seu vice na chapa era o líder do ranking, Otaviano Pivetta. A dupla perdeu para Silval Barbosa (PMDB).

"Nunca reparei nisso [patrimônio maior que a receita anual da cidade]. Gosto de realizar, independentemente se vou usufruir, me dedico ao desenvolvimento econômico. Estamos fazendo um pedacinho de Brasil diferenciado em Lucas", afirma Otaviano.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br