Mulheres querem 30 por cento das vagas nas casas legislativas do Brasil

A sessão, proposta pela deputada Flora Izabel (PT) com o apoio da bancada feminina, foi para lembrar o Dia Internacional da Mulher e para debater a reforma política na ótica das mulheres.

Ainda é pequena a participação das mulheres nas casas legislativas. E para mudar essa realidade a bancada feminina no Congresso propõe que seja incluído no projeto de reforma política uma cota de 30% de participação feminina no parlamento. A proposta será lançada no próximo dia 26, na Federação das Indústrias em São Paulo, conforme anunciou a senadora Regina Sousa (PT-PI) durante sessão solene na Assembleia Legislativa do Piauí.

A sessão, proposta pela deputada Flora Izabel (PT) com o apoio da bancada feminina, foi para lembrar o Dia Internacional da Mulher e para debater a reforma política na ótica das mulheres. A senadora Regina Sousa disse que a mulher teve avanços em várias áreas, menos na política, pois no Senado só foram eleitas 13, das 81 vagas, na Câmara dos Deputados, só há 51 mulheres, das 513 vagas.” Falta ocupar mais espaço na política, falta mais representatividade.”

Regina Sousa lembrou que a lei obrigando 30% das vagas nas candidaturas não avançou na prática, pois há muitas que se candidatam só preencher a cota e nem fazem campanha. E as parlamentares do Senado e da Câmara decidiram unificar a proposta de cota no parlamento e pedem o apoio dos homens para a aprovação da cota. “ Se querem homenagear as mulheres, encampem essa luta.”

E sobre as cotas, a senadora explicou que cota é instrumento de promoção da igualdade e vai existir enquanto for necessário.” Cota não é cultura tupiniquim.” E contou que com a aprovação da proposta no projeto de reforma política, as mulheres vão disputar 30% das vagas nas casas legislativas com outras mulheres. “ A nossa luta é por espaço, não queremos ser maioria, só igualdade”.

A sessão solene teve a presença de representantes de várias entidades e órgãos, como a vice-governdora Margarete Coelho que também falou sobre reforma política e ressaltou a importância de uma maior participação feminina no parlamento.

Fonte: Assessoria