MV: 'Ofensas de Cunha não mudam números de pesquisa'

Nessa segunda, 6, Cunha, que é favorável ao financiamento privado

Image title


O presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Marcus Vinícius Coêlho, rebateu as críticas do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), feitas após resultado de pesquisa que revela que 74% dos entrevistados são contrários ao financiamento empresarial de campanhas políticas.

"Ofensas e desacatos não vão mudar os números da opinião pública", disse o presidente da OAB, entidade que encomendou a pesquisa.

Nessa segunda, 6, Cunha, que é favorável ao financiamento privado, disse que a OAB é um cartel e que não tem credibilidade.

"A OAB é um cartel, é um cartel de uma eleição indireta, de uma série de poder feito com movimento de milhões sem fiscalização. Então, a OAB tem que ser questionada em muitos pontos dela, a OAB precisa ser mais transparente", disparou o peemedebista.

A OAB é autora da ação que questiona, no Supremo Tribunal Federal (STF), a constitucionalidade das doações empresariais a campanhas eleitorais.

O presidente da entidade disse, em nota, que a pesquisa, feita pelo Datafolha, revelou os números com credibilidade. "As ideias devem brigar, não as pessoas. As instituições devem se respeitar.

O debate de ideias e a divergência de opiniões são próprias de uma democracia", afirmou em nota o presidente da OAB.Nessa segunda, Cunha direcionou ataques não só à entidade como também ao presidente da OAB, que se manifestou contra a redução da maioridade penal. O presidente da Câmara disse que Coêlho é próximo ao deputado Alessandro Molon (PT-RJ), que deve questionar no STF a sessão que aprovou a redução da maioridade.

Fonte: UOL