“Nanicos” ainda estão indecisos sobre apoio no segundo turno no Piauí

Apesar dos baixos índices nas pesquisas de intenção de voto, eles acreditam em uma reviravolta nas urnas

Um possível segundo turno nas eleições deste ano é visto com esperança pelos candidatos das pequenas siglas que disputam o comando do Palácio de Karnak. Apesar dos baixos índices nas pesquisas de intenção de voto, eles acreditam em uma reviravolta nas urnas no próximo dia 3 de outubro. O candidato do PSOL ao Governo estadual, Romualdo Brazil, é o único entre os nanicos que vai na contra-mão dessa tendência otimista e adianta que a legenda não deve apoiar ninguém no segundo turno.

Para Romualdo, apostar em segundo turno é ?imaginação?. ?No nosso caso, nós não temos nem imaginação de achar que vamos ao segundo turno, até pela arrogância e prepotência dos outros candidatos?, pontuou, acrescentando que o eleitor socialista estará ?livre? para apoiar quem desejar caso o partido não figure entre os finalistas da corrida eleitoral.

?Qualquer um que vá para o segundo turno dos três ? Wilson Martins (PSB), João Vicente (PTB) e Sílvio Mendes (PSDB) ? significará permanência no poder?, disse Brazil. Para Francisco Macêdo (PMN), a única chance de passar para o segundo turno é com uma ?revolta? do eleitorado. ?Estamos nessa expectativa, se não ganharmos aí iremos verificar qual a melhor proposta?, argumentou. Questionado sobre o critério que o levaria a apoiar um dos dois candidatos que passariam pelo primeiro crivo do eleitorado, Macêdo ressaltou que, ?quando se trata de interesse, o amor desaparece?.

?Ainda não fui procurado por ninguém, eles devem aguardar a semana que antecede a votação?, completou. Quem também aposta em uma ?reviravolta? é Major Avelar (PSL). ?Acredito que vou estar no segundo turno se houver uma reviravolta?. Já Geraldo Carvalho (PSTU) evita comentar sobre os cenários de um eventual segundo turno, mas adianta que o PSTU não deve ?apoiar ninguém? se não conseguir mais de 50% dos votos no próximo mês. A mesma opinião é compartilhada por Teresa Britto (PV), que afirmou aguardar com ?grande expectativa estar no segundo turno?.

?Só quando as urnas forem abertas saberemos os resultados. Não vou falar agora sobre quem apoiar. Todos do PV estão lutando até o fim?, frisou a vereadora de Teresina, que antes de decidir se lançar na corrida governamental ensaiou uma aliança com o candidato a governador pelo PTB, o senador João Vicente. (S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte