"Não estou aqui para aceitar agressões", dispara João de Deus

Parlamentar propôs que líder oposicionista não respeita regimento

O discurso inflamado do líder oposicionista, Robert Rios (PDT), na tribuna da Assembleia Legislativa na manhã de ontem (01) foi o estopim para a revolta dos parlamentares governistas na Casa.

Com as críticas voltadas aos suplentes que ocuparam uma cadeira no Poder após a nomeação dos titulares para funções no Executivo, o deputado sugeriu que eles não foram colocados no posto pelo povo e, sim, pelo governador, indicação rebatida pela líder do Partido dos Trabalhadores, Flora Izabel (PT), que em aparte, mostrou sua indignação contra as declarações proferidas pelo colega de Parlamento.

"Tivemos o deputado João de Deus assumindo como suplente, mas como se pode perceber, ele não falta uma reunião, vamos fazer um bom combate, não aceito essa história de crítica a suplente, eles têm o mandato legítimo como deputado estadual, temos que respeitar", desabafou.

Em seguida, o líder governista João de Deus (PT), usou a palavra no Legislativo Estadual e demonstrando-se ofendido pelas declarações de Rios, exigiu respeito, revelando que responderá a qualquer provocação feita pelo representante.

"Não somos obrigados a ficar escutando esse tipo de pronunciamento, achar que vir aqui só achincalhar é uma grande contribuição, é uma postura totalmente equivocada", detalhou.

O parlamentar ainda propôs que o líder oposicionista não respeita o regimento interno da Casa, criticando sua postura diante dos demais entes. "A população não quer que transformem a Assembleia num saco de pancadas, ela quer saber de proposições. Não estou aqui para aceitar agressões, tem uma hora que a gente não aguenta", reclamou.

Ao fim da sessão, questionado se os suplentes estariam sendo vítimas de preconceito por parte de alguns parlamentares, o deputado revelou que não entrará no mérito, ressaltando, porém, que responderá a altura.

Fonte: Francy Teixeira