"Não podemos tratar tudo como crime de pena de morte", diz Lula

O presidente afirmou que, no discurso feito na cerimônia de posse do novo procurador-geral da República

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que é preciso ?investigar? antes de ?julgar? as denúncias divulgadas contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB). Em entrevista à Rádio Globo de São Paulo nesta manhã, Lula foi questionado sobre as escutas de telefonemas entre Sarney e o filho, o empresário Fernando Sarney.

?Não podemos tratar tudo como se fosse um crime de pena de morte?, disse o presidente. ?É preciso saber o tamanho do crime. Uma coisa é você matar, outra coisa é você roubar, outra coisa é você pedir emprego, outra coisa é relação de influência, outra coisa é o lobby. Tem que fazer as investigações corretas?, disse Lula. "O que precisamos é não cometer um crime antecipado."

?Eu não posso entender que cada pessoa que tem denúncia tem que renunciar o seu cargo, antes de ser julgado, investigado?, disse, sobre Sarney.

O presidente afirmou que, no discurso feito na cerimônia de posse do novo procurador-geral da República na quarta-feira, disse que o Ministério Púbico, ?como instituição poderosa?, tem que cumprir a lei ao pé da letra ?sem ceder à pressões do executivo, da impresa e do legislativo?.

PT PAULISTA

Questionado sobre a disputa pelo governo de São Paulo, o presidente disse que o PT deve construir uma base de aliança maior no estado. "Espero que o PT de São Paulo saiba da importância das alianças políticas", disse o presidente.

Lula elogiou o deputado Ciro Gomes (PSB-CE), apontado como possível candidato ao governo de São Paulo. ?Não sei se o Ciro quer ser candidato em São Paulo, não sei se é filiado no estado, mas é sempre uma grande oportunidade.

"Ele é muito bem preparado, da mais alta competência. Se quiser ser candidato em São Paulo, acho que é uma boa conversa que o PT tem que levar?, disse.

Partidos como o PDT e o próprio PSB, de Ciro, já manifestaram intenção de fazer aliança com o PT em torno do deputado federal.

COPA DO MUNDO

Questionado sobre os R$ 80 bilhões previstos por prefeituras e governos dos estados que sediarão a Copa do Mundo para obras de infra-estrutura, Lula disse avaliar que o país está preparado para fazer os gastos. "Estamos preparados para trazer a Copa do Mundo para cá e tivemos de assumir compromissos."

O presidente afirmou que o compromisso do governo federal é com as obras de mobilidade urbana, como linhas de metrô, corredores de ônibus, estacionamentos e aeroportos.

?Isso não é para a Copa do mundo, é para o Brasil. São obras que serão feitas e vão ficar para que o povo tenha mais qualidade de vida. Temos condição de fazer a Copa e queremos mais, queremos as Olimpíadas de 2016?, disse.

Questionado se é atleta, o presidente brincou. ?Você percebe que, pelo corpo, só se fosse lutador de sumô.?

NOVA GRIPE

Questionado sobre as políticas adotadas pelo governo contra a nova gripe, o presidente afirmou que considera a atuação do ministro da Saúde, José Gomes Temporão, ?extraordinária?.

Lula afirmou que no próximo inverno, ?o mundo inteiro já terá a vacina? contra a gripe e que é importante lembrar que ?morre muita? por doenças como a gripe normal.

?O que nós precisamos ter é cuidado. Sempre que cumprimentar as pessoas, lavar a mão, sempre que estiver em casa, manter a janela aberta para não ficar com o ambiente fechado, quando estiver em público evitar contato direto.?

Fonte: g1, www.g1.com.br