"Não vou polemizar com amigo", diz Serra sobre críticas de FHC

FHC havia criticado Serra e afirmado que Aécio Neves é o "candidato óbvio" do PSDB para disputar a Presidência em 2014.

O ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) afirmou ontem que discorda de algumas opiniões do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, mas se limitou a dizer que não vai "polemizar com um amigo". Em entrevista a um blog da revista britânica "The Economist", FHC havia criticado Serra e afirmado que Aécio Neves é o "candidato óbvio" do PSDB para disputar a Presidência em 2014.



Em resposta, o senador mineiro divulgou nota na qual agradece a "referência" de FHC, mas diz que "o partido saberá definir o melhor nome, entre os vários de que dispõe, no momento certo". Para Aécio, isso ocorrerá após as eleições municipais.

"Temos que trabalhar agora pelo fortalecimento partidário", diz a nota, que termina afirmando que, independentemente do nome, "o PSDB estará em condições de apresentar um projeto ao país que faça o contraponto ao modelo de governança representado hoje pelo PT".

Segundo Sérgio Guerra, presidente nacional do partido, "muitos integrantes do PSDB defendem mesmo que Aécio se lance candidato. Mas isso só será discutido depois das eleições municipais".

O "timing" é o mesmo sugerido por FHC, mas o ex-presidente prevê uma "briga interna muito forte" entre Serra e Aécio. Nesse cenário, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), seria carta fora do baralho.

Questionado, Alckmin evitou alimentar a polêmica: "2014 está longe, temos grandes nomes no PSDB preparados para essa responsabilidade, mas é um tema a ser amadurecido, não há razão para discussão".

Alckmin também comentou a afirmação de FHC sobre ausência de líderes no partido: "Ele é uma grande liderança, mudou o Brasil (...), mas nós temos no PSDB bons quadros".

Fonte: Folha.com