Nazareno: “PT está sofrendo discriminação”

Para o deputado federal Nazareno Fonteles (PT), o PT está “sofrendo discriminação” dos outros partidos que compõem a base aliada

Para o deputado federal Nazareno Fonteles (PT), o PT está ?sofrendo discriminação? dos outros partidos que compõem a base de sustentação do governador Wilson Martins (PSB), após ter batido o martelo sobre a vaga de vice que pretende ocupar na chapa majoritária que irá disputar as eleições de outubro. ?O partido já sofreu a humilhação de ter um governador por oito anos e não ter um candidato que se viabilizou para sucedê-lo. O PT quer a vice para ter a mesma oportunidade que o PSB teve em 2006?, pontuou Nazareno.

O deputado destaca que a escolha da cadeira de vice está baseada, principalmente, no interesse em ter um nome viabilizado para concorrer como cabeça de chapa em 2014, já que Wilson não poderá mais disputar a reeleição. As reações negativas de siglas como o PMDB e PDT são minimizadas pelo petista. ?Não sei porque estão reclamando. Algum deles se reuniu e pediu a vaga de vice antes? Isso é uma discriminação com o PT, que tomou uma decisão democrática?, argumentou.

Com a a avaliação positiva do governo do presidente Lula no Piauí e a possibilidade de oferecer um palanque forte no Estado, a presença de Lula e da pré-candidata a presidente, a ex-ministra da Casa Civil Dilma Roussef, estão condicionadas a posição de vice-governador na chapa de Wilson, garante Fonteles. ?O palanque de Lula e Dilma, só o PT pode oferecer. O PMDB precisa baixar a bola, já o compensamos em outros estados e eles tem a vice da Dilma. É hora de ser mais solidário conosco?.

O parlamentar lembra que os peemedebistas não estão unidos e essa indecisão deve ser levada em conta na hora de costurar uma aliança. A chapa ideal, segundo Nazareno, contemplaria o PSB de Wilson Martins como cabeça de chapa, o PT na vice, com o antigo pré-candidato da legenda, o deputado federal Antônio José Medeiros, e no Senado com o ex-governador Wellington Dias, e o PMDB do deputado federal Marcelo Castro na segunda vaga do Senado. ?É uma chapa muito forte, com os três pré-candidatos da base aliada?, aposta, descartando o retorno do senador João Vicente Claudino (PTB) para o bloco governista. (S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte