"Nenhum legado é da Copa", diz presidente Dilma Rousseff durante a inauguração da Transcarioca

"Nenhum legado é da Copa", diz presidente Dilma Rousseff durante a inauguração da Transcarioca

Presidente frisou que o legado dos investimentos é para o "povo brasileiro"

A presidente Dilma Rousseff afirmou, na manhã deste domingo (1º), que o legado deixado pelos investimentos em obras da Copa do Mundo é para o "povo brasileiro". A declaração foi dada durante inauguração da Transcarioca, corredor expresso que liga o Aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim, no Galeão, na Ilha do Governador, à Barra da Tijuca, na Zona Oeste. A visita da presidente à cidade foi marcada por protestos.

A primeira linha do BRT Transcarioca começará a funcionar na segunda-feira (2), no trecho Barra da Tijuca (Terminal Alvorada) ? Tanque, em Jacarepaguá. A linha de ônibus liga os dois bairros da Zona Oeste, com paradas em 19 estações. Inicialmente, o serviço funcionará apenas entre 10h e 15h ? período entre os horários de pico. O objetivo é minimizar os impactos, já que, segundo a prefeitura, a população precisará de tempo para se adaptar ao novo sistema.

"Todos nós, a partir da Transcarioca, vamos começar a melhorar esses bairros. Estamos dando visibilidade ao Subúrbio. O Rio de Janeiro está aqui. Durante muito anos, essa região não foi visível, mas agora será. Diziam que a Copa não tinha legado nenhum. Eu acho que nenhum legado é da Copa. Todos os legados são do povo brasileiro", disse a presidente, ao lado do prefeito Eduardo Paes e do governador Luiz Fernando Pezão.

A cerimônia ocorreu em ritmo de samba, com a presença de Monarco da Portela, Nelson Sargento e Dona Ivone Lara, entre outros sambistas. Demonstrando animação, Dilma bateu palma, acompanhou as canções e chegou a tocar tamborim com a bateria da escola de samba União da Ilha. Depois do discurso, deixou o palco enquanto a música ainda era executada.

Enquanto acontecia a solenidade, professores protestavam do lado de fora da estação estação do BRT Viaduto Silas de Oliveira, em Madureira, no Subúrbio. Docentes das redes municipal e estadual do Rio estão em greve desde o dia 12 de maio. Eles alegam que os governos não cumpriram o acordo firmado durante a greve de 2013, que durou 70 dias.

Investimentos no BRT

Após fazer o trajeto Galeão-Madureira em um ônibus do BRT, a presidente Dilma elogiou a qualidade do serviço. "Os ônibus parecem trens. São trens sob rodas. Percorrem uma via especial. Uma espécie de canal feito pelas ruas, com uma rapidez fundamental", frisou.

O prefeito Eduardo Paes afirmou que o município vai investir na ampliação desse tipo de transporte. "Vamos assinar contrato de R$ 3 bilhões de financiamento com o BNDES para fazer mais dois BRTs e para a revitalização da Zona Portuária. Vamos usar a Copa para mudar a vida dos cariocas", disse Paes.

Na quarta-feira (4), no mesmo corredor, entrará em funcionamento a linha que ligará o Aeroporto Internacional do Galeão ao Terminal Alvorada, na Barra da Tijuca. O BRT fará parada em quatro estações, entre elas, a de Vicente de Carvalho, que possibilitará a integração com o metrô, facilitando também o acesso ao estádio do Maracanã. As estações são Alvorada, Tom Jobim 1, Tom Jobim 2 e Vicente de Carvalho.

Casas populares

Depois da inauguração da Transcarioca, a presidente Dilma Roussef seguiu para o Conjunto de Favelas de Manguinhos, na Zona Norte da cidade, onde participou da cerimônia de entrega de 564 unidades habitacionais.

O local também foi palco de protestos. Com faixas e carro de som, os manifestantes ? a maioria servidores federais da Educação ? também criticaram os gastos com a Copa. Na saída do evento, a comitiva da presidente passou em meio à manifestação.

No início da manhã deste domingo, a presidente inaugurou as obras de ampliação do Terminal 2 do Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim, no Galeão.





Fonte: G1