No 1º dia sem mandato, ex-deputado recebe ordem de prisão

No 1º dia sem mandato, ex-deputado recebe ordem de prisão

Apesar do mandado de prisão, Cícero não está em Alagoas, mas em Portugal

No primeiro dia sem mandato político, o ex-deputado estadual por Alagoas Cícero Ferro (PMN) recebeu ordem de prisão do desembargador Orlando Manso nesta terça-feira após perder a imunidade parlamentar. Ele é acusado de matar o vereador Fernando Aldo em outubro de 2007. Investigações da Polícia Civil apontam que o vereador foi morto por invadir redutos eleitorais de Ferro, no interior de Alagoas. O ex-deputado estadual nega o crime.

Apesar do mandado de prisão, Cícero não está em Alagoas, mas em Portugal, conforme o seu advogado, Welton Roberto. Ele entrou com pedido de habeas corpus. Nas eleições de outubro, o ex-deputado foi considerado o braço direito da campanha do senador Fernando Collor (PTB) ao governo de Alagoas.

Policiais civis estiveram hoje na casa do deputado, localizada em um condomínio de luxo na parte alta da capital alagoana. Eles buscavam armas na casa do parlamentar. "Ele é considerado foragido e acionamos o serviço de inteligência. O pedido de prisão do deputado está ligado a uma manobra dele, que poderia assumir, como suplente, a vaga de outro deputado", disse o delegado Marcílio Barenco.

Cícero poderia assumir a vaga de Dudu Holanda (PMN), que pediu licença de 120 dias do mandato antes de assumir. Assim, ele ficaria blindado pela imunidade parlamentar. O ex-deputado é acusado ainda de matar o primo Jacó Ferro.

Além de responder pelas mortes, Cícero Ferro foi indiciado em 2007 pela Polícia Federal (PF) por peculato, lavagem de dinheiro, crime contra o sistema financeiro nacional e formação de quadrilha. De acordo com a PF, ele teria ajudado a desviar, através de laranjas, R$ 300 milhões dos cofres da Assembleia Legislativa durante sete anos.

Fonte: Terra, www.terra.com.br