No Jornal Nacional, Marina Silva diz que não sabia de irregularidades envolvendo jatinho de Campos

Ela disse esperar que o possível uso de empresários como laranjas seja investigado com rigor.

A candidata à Presidência pelo PSB, Marina Silva, disse nesta quarta-feira que, enquanto candidata a vice de Eduardo Campos, não tinha informação de qualquer irregularidade envolvendo a contratação da aeronave utilizada na campanha.

"Nós tínhamos informação de que era um empréstimo e que seria feito o ressarcimento no prazo legal", disse Marina, na entrevista ao Jornal Nacional, da TV Globo. Segundo Marina, o ressarcimento seria feito ao fim da campanha, pelo comitê financeiro do então candidato. Marina afirmou respeitar o trabalho da imprensa, mas disse ter "compromisso com a verdade". A questão será apurada pelas investigações da Polícia Federal. "O nosso interesse e a nossa determinação é de que essas investigações sejam feitas com todo o rigor para que não se faça injustiça com a memória de Eduardo." Questionada se a postura não contraria seu discurso de rigor ético, Marina disse que não. "Não uso dois pesos e duas medidas, a métrica que uso com meus adversários é a mesma que uso comigo", disse, ao argumentar que não pretende "tangenciar ou se livrar do problema" e sim enfrentar para que a sociedade possa ter acesso a todas as informações envolvendo o caso.

Ela disse esperar que o possível uso de empresários como laranjas seja investigado com rigor. Pouco antes da entrevista, o Jornal Nacional exibiu uma reportagem que mostrou evidências do suposto uso de empresas de fachada para viabilizar o financiamento do jatinho, usado por Campos na campanha e no qual ele e outras seis pessoas morreram, em 13 de agosto. A reportagem trouxe imagens tanto de Campos como de Marina utilizando a aeronave.

 


Fonte: MSN