No recesso, senadores gastam até R$ 23 mil com passagens aéreas

No recesso, senadores gastam até R$ 23 mil com passagens aéreas

Levantamento com 27 parlamentares mostra que apenas quatro deixaram de usar cotão no período

Os senadores da República têm direito a uma cota para a atividade parlamentar, que é conhecida como "cotão", que varia conforme o Estado, pode chegar aos R$ 44,2 mil (caso do Amazonas) ? além do salário ? e serve para bancar passagens aéreas, alimentação, comida, divulgação da atividade parlamentar, entre outros. Só em janeiro, quando os senadores ainda estavam no recesso, os gastos de 27 senadores ? um terço dos 81 parlamentares da Casa ? com passagem de avião chegaram a R$ 100 mil, segundo a Transparência do Senado.

Ex-presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP) não usou um centavo do cotão em janeiro. E olhem que ele tem direito a R$ 42,8 mil por mês para comprar passagens de avião, alugar carros, pagar o restaurante, entre outros. É importante ressaltar que a volta dos trabalhos no Senado se deu em fevereiro.

O ex-presidente da República Fernando Collor (PTB-AL) foi moderado nos gastos com passagem de avião durante as férias. Ele destinou R$ 2.020 para este fim da sua cota parlamentar. Os senadores alagoanos podem usar, todo mês, até R$ 35.056 além do salário.

Wellington Dias (PT-PI) precisou de R$ 7.227 para pagar os bilhetes aéreos em janeiro.

Cristovam Buarque (PDT-DF) é outro que não gastou nada em janeiro da cota parlamentar. Como é do Distrito Federal, ele poderia usar até R$ 21 mil para este fim.

Assim como Sarney, João Capiberibe (PSB-AP) pode usar um total de até R$ 42,8 mil por mês com a cota e, em janeiro, gastou R$ 2.608 com passagens de avião.

Provável candidato tucano à disputa da Presidência da República nas Eleições 2014, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) destinou R$ 488,96 para viajar de avião em janeiro. .

O senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) foi um dos que menos gastou com passagens de avião em janeiro: R$ 310,98.

Ricardo Ferraço (PMDB-ES) precisou de R$ 6.331 em janeiro para saldar gastos com as tarifas aéreas. Os senadores do Estado têm direito, todo mês, a um "cotão" de até R$ 33.176.

Pedro Taques (PDT-MT) é outro que foi moderado nos gastos com passagens aéreas em janeiro. Ele usou apenas R$ 664 da cota para este fim.

O atual presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), foi um exemplo em janeiro: ele não usou um real sequer para pagar passagens de avião. Ele tem direito a até R$ 35 mil por mês do "cotão" e, em janeiro, ele não usou nada desse total.

Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) tem uma cota parlamentar total de R$ 44,2 mil, sendo R$ 29.276 deste total exclusivos para a compra de passagens aéreas. Em janeiro, ela usou R$ 8.096 com os bilhetes de avião.

Em janeiro, Ciro Nogueira (PP-PI) usou R$ 1.481 para pagar suas despesas aéreas.

Fonte: r7