No Twitter,José  Serra acusa Lula de fazer campanha e mentir

No Twitter,José Serra acusa Lula de fazer campanha e mentir

O candidato derrotado do PSDB à Presidência, Serra ataca Lula no Twitter

O candidato derrotado do PSDB à Presidência, José Serra, se manifestou em sua conta do Twitter, nesta quinta-feira, contra a atitude do presidente Luiz Inácio Lula da Silva diante de diversos impasses colocados em pauta nas últimas semanas.

"Em Brasília, falei contra a (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira) CPMF, sobre a desmoralização do (Exame Nacional do Ensino Médio) Enem, a desativação de 11 mil leitos hospitalares, problemas da economia", escreveu.

Serra afirmou que ficou "assombrado" pelo fato de Lula, segundo ele, continuar "fazendo campanha e mentindo", ao invés de "encontrar soluções para estes problemas".

O tucano comentou ainda a entrevista que o presidente deu para blogueiros na quarta-feira, citando artigo da jornalista Dora Kramer sobre o assunto.

Entrevista de Lula aos blogueiros

Em entrevista aos blogueiros, Lula insistiu na "necessidade" de que o País discuta uma nova lei de imprensa que regule a atividade dos meios de comunicação, além de criticar atitude de Serra ao ser atingido na cabeça durante a campanha pela disputa presidencial.

O presidente afirmou que a cena da suposta agressão de petistas a Serra foi "patética". O tucando teria sido atingido na cabeça por militantes do PT durante uma caminhada no Rio de Janeiro, no dia 20 de outubro.

"Realmente foi uma desfaçatez. Eu perdi três eleições, e poderia ter perdido a quarta, a quinta, mas jamais teria coragem de fazer uma mentira daquela", afirmou.

O presidente reforçou também seu "compromisso" com a liberdade de imprensa, assegurando que é resultado dela, mas não deixou de criticar os grandes veículos de comunicação, dizendo que "distorcem informações" e "acham que o povo pode ser manipulado".

Segundo Lula, o fenômeno de internet obriga a imprensa tradicional a mudar, porque é desmentida em tempo real e depois tem que se retratar, "o que é extraordinário", mas também impõe a necessidade de novas regulações para os meios de comunicação, mas "sem censura", ressaltou, porque "isso é uma estupidez".

Fonte: Terra, www.terra.com.br