Nova superintendente indica que Governo combate o desperdício

Não vamos deixar haver gastos para desperdício

A criação da Superintendência de gestão de gastos com a Reforma Administrativa do Executivo fortalecerá o combate do Governo do Estado ao desperdício nos gastos, principalmente no que se refere ao custeio. Empossada na última segunda (29), em solenidade no Palácio de Karnak, a gestora do órgão, Catarina Raulino, revelou os encaminhamentos que serão tomados a partir de agora, indicando a atenção do Executivo à questão, o que já teria viabilizado a redução nas demandas de custeio nos primeiros meses da atual legislatura. “Esse é um trabalho novo dentro da Secretaria, ou seja, fazer um acompanhamento e monitoramento do gasto”, declarou.

De acordo com Raulino, as novas imposições indicam o fortalecimento no combate ao desperdício de recursos dentro dos órgãos públicos, alçando a administração a um novo estágio no que se refere ao controle. “Não vamos deixar haver gastos para desperdício e, sim, gastos voltados para qualidade e ações do Governo”, propôs.

Ao ressaltar o esforço disposto pela equipe do governador Wellington Dias na área, a superintendente reverberou que desde janeiro atua em tal abstração. Nesse apontamento, o secretário de administração, Franzé Silva, relatou que as ações serão bem analisadas, seguindo o trabalho que já vem sendo demandado, de modo que não haja quaisquer prejuízos. “Quando assumimos o custeio chegava em R$ 80 milhões e reduzimos para R$ 65 milhões mensais; vamos analisar a execução sempre com o olhar da eficiência, não podemos cortar por cortar”, lembrou.

Segundo o gestor, a nova superintendência abarcada pela pasta não provocará acúmulo de funções ou prejudicará o trabalho realizado, indicando que o Piauí apenas está se prevenindo de crises enfrentadas mundialmente, viabilizando medidas importantes para o equilíbrio da administração. “A preocupação que estamos tendo não é nenhuma novidade, buscando sempre a eficiência nos gastos e redução nos déficits. Hoje o Governo tem a preocupação de antecipar a prevenção, qualificando o seu gasto, assim como o controle”, finalizou.

Fonte: Francy Teixeira