Novo presidente do TRT é empossado e recebe apoio do governo para expansão

A solenidade ocorreu no auditório do Tribunal de Justiça

Tomou posse na noite desta sexta-feira (5), o desembargador Manoel Edilson Cardoso, como novo presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 22ª região do Piauí (TRT). A solenidade ocorreu no auditório do Tribunal de Justiça e contou com a presença dos ministros João Batista Pereira, do Tribunal Superior do Trabalho (TST), e José Pimentel, da Previdência Social, que veio à Teresina para participar de um evento com gestores do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS).

Durante a transmissão do cargo, o desembargador Arnaldo Boson lembrou que em sua gestão primou pela promoção da conciliação e lembrou do trabalho realizado quando presidente, como a qualificação dos servidores, criação de quatro fóruns e implantação de uma nova rede de informatização. ?O novo presidente do TRT é um grande magistrado e representa renovação nesta corte?, frisou.

O desembargador Edílson Cardoso foi eleito por unanimidade em outubro deste ano para cumprir o biênio 2008/2010 e terá como vice-presidente o desembargador Wellington Jim Boavista. Natural de Independência, no Ceará, o novo presidente foi juiz titular do Trabalho nas varas de São Raimundo Nonato, Parnaíba e Teresina. Possui mestrado em Direito Constitucional pela Universidade Federal do Ceará (UFC) e é professor de Direito da Universidade Federal do Piauí (UFPI) e de diversas faculdades privadas de Teresina.

O governador Wellington Dias reafirmou o compromisso do governo do Estado de ajudar no trabalho de expansão do TRT, especialmente na retomada das obras de sua nova sede, da qual ele garantiu incluir no orçamento verba no valor de R$ 10 milhões. ?Quero destacar o apoio do TRT no combate ao trabalho escravo e ao trabalho infantil, que vem ampliando a confiança da sociedade neste tribunal?, disse.

O presidente empossado afirmou que o judiciário trabalhista se depara cotidianamente com as condições sociais e que a lei não tem o poder de mudar essas condições, mas o juiz sim. Por isso ele garantiu que irá priorizar pela honestidade, rapidez e eficiência, pois é isso que a sociedade espera de um juiz. ?Espero que minha gestão seja marcada pela humildade?, enfatizou.

Fonte: CCOM