Obama vende transmissão da posse por $ 5 milhões

Transmissão exclusiva pelas 3 grandes redes

O negócio é inimaginável na América Latina. Um presidente eleito vender os direitos exclusivos dos principais eventos da cerimônia de sua posse por US$ 5 mi. Nos Estados Unidos, no entanto, é apenas mais um negócio, que embora lícito, tem provocado polêmica pela voracidade com que os legionários de Obama levantam fundos para a grande festa de transmissão de poder.

O comitê de posse de Obama fechou acordo com três grandes redes norte-americanas de TV para transmitir alguns dos eventos mais importantes da cerimônia de posse, segundo informações publicadas neste sábado pelo jornal The Washington Post.

Por US$ 2,5 milhões, a HBO adquiriu os direitos do megaconcerto deste domingo, no The Mall, de Washington, com a presença de Bono e seu U2, Bruce Springsteen, Beyoncé, entre outras estrelas. O sinal exclusivo estará disponível apenas para usuários que recebem o canal ou possuem recepção de TV digital.

Já a Walt Disney Co. pagou US$ 2 milhões para colocar no ar nos seus canais Disney e ABC dois eventos premium. A Disney transmitirá na próxima segunda-feira um concerto dedicado as crianças, com a presença das futuras primeira-dama Michelle Obama e vice Jill Biden. A rede ABC, por sua vez, vai exibir a disputada festa da posse da cidade, o primeiro dos 10 eventos oficiais programados para 20 de janeiro. Terá acesso quase exclusivo, pois apenas um seleto grupo de jornalistas que regularmente cobre o dia a dia da presidência poderá entrar no local. A emissora vai inserir blocos comerciais na transmissão, o que evidencia que vai obter lucro sobre o evento.

Finalmente, a MTV, do grupo Viacom, desembolsou US$ 650 mil para transmitir, também na terça-feira, a Festa da Juventude, com a presença do próprio Obama.

Outras redes de TV e a mídia em geral, alijadas do fino cardápio de festividades, utilizam o argumento do caráter público do evento para gritar contra a exclusividade. Claro, preferiam um pool de imagens para compartilhar por todos e para todos.

A venda de direitos para a posse não é um privilégio de Obama. Outro Democrata, Bill Clinton, também licenciou direitos para a HBO e CBS durante sua posse em 1993. A maioria dos presidentes, no entanto, descartou essa prática.

A festa inclusiva e aberta prometida por Obama não tem custo geral divulgado. A porta-voz do comitê de posse, Linda Douglass, informou que apenas de infra-estrutura para as transmissões dos quatro eventos vendidos com exclusividade para as redes de TV serão gastos US$ 10 milhões.

O comitê de posse de Obama já arrecadou US$ 35 milhões. Não foram aceitas doações diretas de empresas, comitês políticos, estrangeiros e lobistas oficiais. Doações individuais foram limitadas em US$ 50 mil.

Fonte: Terra, www.terra.com.br