Oito deputados devem sair candidatos nas eleições no Piauí

Já são pelo menos oito os deputados que pretendem colocar o nome na disputa municipal no Piauí.


Oito deputados devem sair candidatos em 2012

A possibilidade de trocar o mandato de deputado estadual ou federal pelo de prefeito tem sido atrativo para uma quantidade significativa de parlamentares que, há alguns anos, faziam o caminho oposto, geralmente saindo do comando do Executivo municipal para prosseguir a carreira no Legislativo estadual ou federal.

Com o objetivo de renovar as prefeituras municipais e as lideranças locais, ou apenas de ser candidato a prefeito para se tornar mais conhecido e alçar voos mais altos no futuro, já são pelo menos oito os deputados que pretendem colocar o nome na disputa municipal no Piauí.

Já anunciaram a intenção de se candidatarem às eleições municipais os deputados estaduais Belê Medeiros (PSB) e Kléber Eulálio (PMDB), em Picos, e o deputado federal Átila Lira (PSB), em Teresina. Já o deputado estadual Cícero Magalhães (PT) é cotado como possível vice de Elmano Férrer na disputa pela Prefeitura de Teresina.

Caso o PT tenha candidato próprio no pleito deste ano na capital, a deputada estadual Rejane Dias será o nome a encabeçar a candidatura do partido. O deputado estadual Themístocles Sampaio (PMDB) já demonstrou a intenção de concorrer à Prefeitura de Esperantina, enquanto o deputado Odival Andrade (PSB) poderá ser candidato a prefeito em Piripiri.

O deputado estadual Firmino Filho deve concorrer à Prefeitura de Teresina pelo PSDB. Na última semana, a disputa pela Comissão de Constituição e Justiça na Assembleia Legislativa trouxe à tona reflexos dos conflitos municipais.

O deputado estadual Gustavo Neiva (PSB) perdeu para Kléber Eulálio (PMDB), líder do Governo, a presidência da CCJ, considerada a Comissão mais importante da casa por ser a porta de entrada para a aprovação da maioria dos projetos que tramitam na Alepi.

O vice-presidente da Assembleia Legislativa do Piauí, deputado estadual Ismar Marques (PSB), negou que a disputa pela CCJ seja um reflexo do antagonismo entre PMDB e PSB nas eleições municipais deste ano.

?Estamos fazendo tudo que é possível para que problemas externos não influenciem na Alepi. Isso é difícil, porque muitos deputados vão ser candidatos a prefeito, mas a política estadual é diferente da municipal?, comparou.

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte