Orlando Silva diz que Fifa está preocupada com aeroportos

Orlando Silva diz que Fifa está preocupada com aeroportos

Dirigente da Fifa revela "preocupação" com aeroportos, diz ministro

O ministro do Esporte, Orlando Silva, afirmou que o secretário-geral da Federação Internacional de Futebol (Fifa), Jérôme Valcke, demonstrou ?preocupação? com as condições dos aeroportos brasileiros para a Copa de 2014, durante encontro nesta sexta (29) em Brasília.

Valcke, Silva e o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, se reuniram na sede do Ministério do Esporte para tratar da Lei Geral da Copa - Teixeira também preside o Comitê Organizador da Copa no Brasil.

?Na conversa com secretário, ele levantou preocupação com relação aos aeroportos, e falamos para ele explicitamente sobre as ações de governo. Comunicamos a ele que a presidenta Dilma [Rousseff] criou um ministério específico para cuidar dos aeroportos?, declarou Orlando Silva.

Silva afirmou que fez um relato ao representante da Fifa sobre as ações do governo para melhorar a infraestrutura dos aeroportos do Brasil.

Ele disse que mencionou as mudanças feitas pelo Palácio do Planalto no comando da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e o debate no Congresso Nacional para ajustar as regras e acelerar os processos de licitação - o governo federal estuda um novo modelo de concessão de administração, obras e serviços em aeroportos para atrair a iniciativa privada.

?Ele [Jérôme Valcke] ficou extremamente satisfeito com as novidades que apresentamos e muito feliz com a confiança e convicção que transmiti de que não é um assunto apenas do Ministério do Esporte, que a preparação da Copa da Fifa no Brasil é uma prioridade da agenda da presidente da República?, disse Orlando Silva.

Lei Geral

O texto da Lei Geral da Copa 2014 está pronto e deve ser encaminhado ao Congresso até a primeira quinzena de maio, segundo o ministro. A lei estabelecerá o conjunto de regras para a organização do Mundial de futebol, e o governo pretende que esteja em vigor até 30 de julho deste ano, data em que do sorteio dos grupos para os jogos das eliminatórias do Mundial.

A negociação para formatar as regras da organização do mundial da Fifa começou em 2009. A lei, que tem 42 artigos, trata de pontos como a garantia de visto gratuito e mais rápido para quem vier trabalhar no Brasil no período da Copa.

Com vigência até 2014, a norma criará um procedimento mais ágil para o registro de patentes de marcas de produtos que serão comercializados durante o campeonato, como camisetas, mascotes e o próprio slogan do mundial. Também estabelecerá normas para evitar venda ilegal de ingressos.

Além disso, o governo federal pretende repassar às administrações das cidades-sede a tarefa de estruturar o comércio em locais próximos aos estádios, onde serão realizados jogos da Copa. Essas atividades terão de obedecer regras resultantes de acordo com a Fifa

A lei também incorpora regras como a que garante que emissoras de televisão que não detêm os direitos de transmissão possam ter acesso a 3% do total de imagens captadas em um evento esportivo, com a finalidade de garantir o direito à informação.

Orlando Silva afirmou que vai fazer um apelo para que o Congresso aprove com urgência a proposta da Lei Geral da Copa. Ele disse que não espera resistência de parlamentares de oposição ao texto apresentado pelo governo.

?Esse é um tema nacional, esse é um tema do país. Não é um tema que divide base e oposição é um tema que une todo o Brasil?, disse Silva.

Estádios

O ministro e os dirigentes da Fifa e da CBF também conversaram sobre o ritmo das obras nos estádios das cidades que sediarão jogos da Copa de 2014. Segundo Silva, das 12 cidades-sede, dez estão com estádios em obras.

São Paulo é uma das duas cidades que ainda não iniciaram a construção do estádio. O estádio previsto para jogos da Copa em São Paulo é o do Corinthians, em Itaquera, zona leste da capital paulista. O ministro, no entanto, afirmou que ?caiu a ficha? e que São Paulo tem se esforçado para resolver os entraves.

?Eu percebi que houve uma intensificação do esforço de São Paulo para dar adequada resposta e iniciar as obras na cidade, o que para nós é um bom sinal, sinal de que caiu a ficha e São Paulo está trabalhando mais rápido para resolver o assunto de estádios. Estádios é um tema equacionado, é um assunto que entrou nos trilhos e vai ser consolidado com São Paulo?, disse Orlando Silva.

Fonte: g1, www.g1.com.br