Para ficar com Dilma, PTB deverá receber Portos e apoio para governo

O movimento tem o aval de Dilma e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

No vai e vem da montagem dos palanques regionais para a campanha pela reeleição da presidente Dilma Rousseff, governo e PT avançaram ontem no movimento para garantir o apoio nacional do PTB. O presidente nacional do PT, Rui Falcão, se encontrou ontem com o senador Armando Monteiro (PTB) e avisou que seu partido está disposto a apoiar sua campanha pelo governo de Pernambuco. O movimento tem o aval de Dilma e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Falcão se encontrou com Monteiro em Recife e avisou que a vontade do grupo é formar chapa com ele, indicando o vice. Publicamente, Falcão declarou intenção, mas se resguardou dizendo que não imporá mão de ferro sobre os petistas locais, exigindo apoio ao empresário, ex-presidente da Confederação Nacional das Indústrias (CNI). Pura formalidade, a aliança está mais do que sacramentada.

Em Brasilia, o segundo movimento para selar o acordo com o PTB será feito por Dilma depois que voltar de sua viagem ao exterior. Ela deve entregar a Secretaria Nacional dos Portos, que tem status de ministério, para o controle dos trabalhistas. Possivelmente, a escolha recairá sobre o presidente nacional da legenda, Benito Gama (BA), desde que ele aceite não concorrer a uma vaga na Câmara dos Deputados. Hoje, Benito ocupa uma vice-presidência no Banco do Brasil e está mais do que alinhado com o Planalto.

A vaga hoje é ocupada pelo grupo político do governador do Ceará, Cid Gomes, e de seu irmão Ciro Gomes. A decisão do grupo de ficar com Dilma, deixando de lado o PSB de Eduardo Campos, se filiando ao recém fundado PROS, garantiu um upgrade na Esplanada. O grupo vai se mudar de mala e cuia para a poderosa pasta da Integração Nacional na reforma ministerial.

Com isso, Dilma receberá o tempo de televisão do PTB para sua chapa e ainda impede os adversários de atraírem o partido para o seu lado.

Fonte: oestadão