Para Marta Suplicy, Serra não sabe perder com elegância

Marta disse ainda que a eleição de sua companheira de partido carrega um simbolismo muito forte

A senadora eleita por São Paulo, Marta Suplicy (PT), disse nesta segunda-feira (1) que o candidato derrotado à presidência da República, José Serra (PSDB), adotou um comportamento rancoroso com relação a petista Dilma Rousseff desde que foi divulgado o resultado das urnas, com vitória desta última.

"A fala final da campanha adversária, principalmente de José Serra, foi muito pesada no sentido de que transparecia rancor, não pregava uma construção de um Brasil, ao contrário, pregava a trincheira, era belicoso. Foi muito estranho. Ele não está sendo um perdedor com elegância, não está perdendo com elegância".

Marta disse ainda que a eleição de sua companheira de partido carrega um simbolismo muito forte para o imaginário feminino. "É muito importante para as meninas você ter, por quatro anos no poder, falando em nome da nação, uma mulher. Aparentemente não faz diferença, mas faz total. O "mulher pode" é muita forte. Acho que nunca mais uma menininha vai perguntar "mulher pode"?".



A ex-prefeita de São Paulo faz referência ao episódio ocorrido durante a campanha eleitoral, quando Dilma foi interpelada durante uma de suas viagens por uma garotinha chamada Vitória que lhe perguntou se mulheres poderiam ser presidente da República.

Por fim, questionada se a presidente eleita poderia repetir a experiência da chilena Michelle Bachelet, que ao assumir o governo em seu País nomeu mulheres para metade de seus ministérios, Marta foi taxativa: "seria uma experiência muita rica, mas quase impossível de fazer, porque nós não temos a quantidade de mulheres fortes partidariamente necessárias para isso. É difícil. Eu tentei isso como prefeita e sei do que estou falando".

Fonte: Portal Meio Norte, www.meionorte.com