Para os petistas, base de apoio a presidente Dilma continua grande após a saída do PTB da aliança

Para os petistas, base de apoio a presidente Dilma continua grande após a saída do PTB da aliança

Governo vai "continuar dialogando com quem quiser dialogar", diz ministro. PTB decidiu sair da aliança com PT para apoiar candidatura de Aécio.

Lideranças do PT que participaram da convenção nacional do partido neste sábado (21) afirmaram que a base de apoio à reeleição da presidente continua grande mesmo após saída do PTB da aliança. Para os petistas, a situação das eleições deste ano está melhor que a de 2010 no que diz respeito aos aliados.

O presidente do PTB, Benito Gama, informou neste sábado ao G1 que vai anunciar o apoio do partido à candidatura do senador Aécio Neves (PSDB-MG) à Presidência da República. A decisão do PTB é uma baixa para a campanha da presidente Dilma Rousseff, que contava com o partido na coligação encabeçada pela petista.

O PT espera contar com o apoio de oito partidos - PCdoB, PDT, PP, PROS, PR, PSD, PRB e PR -, que realizam convenções até o final do mês para oficializar suas posições.

Líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), disse que a campanha seguirá normalmente. "Naturalmenmte que nós gostaríamos de ter todos os partidos na nossa base, mas vivemos uma situação bem melhor até que a própria campanha de 2010", declarou Costa.

O ministro da Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, afirmou estar aberto a quem quiser dialogar. "Trabalhamos para ter o máximo de partidos, principalmente aqueles que estiveram nesse tempo todo. Mas evidentemente a aliança é sempre complexa, envolve 27 estados e envolve a negociação nacional. Nós vamos continuar dialogando com quem quiser dialogar e vamos trabalhar com quem já está fechado. É a maior aliança da história do PT", afirmou Berzoini.

Já o líder do PT na Câmara, deputado Vicentinho (SP), disse lamentar a saída do partido. "Depois de todo esse período na bancada, mesmo com divergências, a gente caminhou ao longo desse tempo. Lamentamos [a decisão o PTB] mas vamos para o povo [?]. A nossa militância sai daqui muito animada. Apostamos no povo, mas não deixo de lamentar", declarou.

De acordo com o presidente do PTB, o principal motivo para o rompimento com o PT foi o desacordo nas coligações para as disputas eleitorais nos estados. "Alianças estaduais estavam com muitas dificuldades. Então fica complicado, estavam em risco as eleições dos deputados e senadores do nosso partido [...] E conversei com os convencionais do PTB, a maioria é pró-Aécio", afirmou Gama.

Fonte: G1