Parlamento europeu pede que Reino Unido inicie sua saída na terça

Na terça-feira será realizada uma cúpula europeia.

O presidente do Parlamento europeu, Martin Schulz, pediu neste domingo (26) ao primeiro ministro britânico David Cameron que inicie o processo de saída do Reino Unido da União Europeia na terça-feira, quando será realizada uma cúpula europeia. Segundo entrevista publicada no jornal alemão “Bild”, a autoridade disse acreditar que um período confuso “levaria a uma insegurança maior, colocando em perigo o emprego”.

“Essa atitude de dúvida, simplesmente para seguir o jogo tático dos conservadores britânicos, prejudica todos”, afirmou Schulz. “Por isso contamos com o governo britânico para cumprir suas promessas a partir de agora e da cúpula de terça-feira será um bom momento”.

As quatro formações mais importantes do Parlamento europeu redigiram um documento que convida Cameron a iniciar o processo de saída na terça-feira, informou o jornal alemão “Frankfurter Allgemeine Sonntagszeitung”. É imperativo “evitar uma incerteza prejudicial para todos e preservar a unidade da União”, escreveram os parlamentares.

“Não se poderá aprovar nenhuma nova relação, de qualquer tipo que seja, entre o Reino Unido e a UE enquanto o acordo de saída não for encerrado”, acrescentaram.

Na sexta-feira, após a comoção do resultado do referendo da quinta-feira, Cameron anunciou sua renúncia para o mês de outubro, deixando a seu sucessor o papel de negociar o Brexit com outros países-membros.

De acordo com o artigo 50 do Tratado de Lisboa, que nuncha foi acionado até então, para empreender a saída do Reino Unido deve-se notificar o Conselho Europeu, composto pelos chefes de Estado e de governo, sobre a intenção de deixar o bloco. A partir de então, o país e os integrantes da UE têm dois anos para negociar a saída.

Nestas terça-feira e quarta-feira, acontecerá uma cúpula de chefes de Estado e governo para discutir o fim do referendo. O Parlamento europeu se reunirá na terça-feira em sessão extraordinária.

Presidente do Parlamento europeu, Martin Schulz (Crédito: Reprodução)
Presidente do Parlamento europeu, Martin Schulz (Crédito: Reprodução)


Fonte: OGlobo