Partidos se ajustam após decisão do STF rumo às eleições

Partidos se ajustam após decisão do STF rumo às eleições

"Mexer nessa bancada durante as eleições seria um absurdo" afirmou Cícero Magalhães

Depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) manteve a bancada do Piauí com 10 deputados federais e 30 estaduais, partidos e coligações começam a se ajustar e a definir as coligações proporcionais em relação às eleições deste ano.

Nesta quarta-feira, 2, integrantes da bancada governistas tiveram um encontro rápido, quando tudo ficou praticamente acertado em relação à campanha para a Assembleia Legislativa (Alepi) e a Câmara dos Deputados.

?Nós já conversamos com todos os partidos e vamos fazer um chapão com PMDB, PSB, PSD, PCdoB, PSDB, PRB, ou seja, todos esses partidos vão participar de uma chapa só. Vamos ter também duas coligações, uma comandada pelo Evaldo, e outra comandada pela Teresa Brito. Nós acreditamos que, com isso, está solucionado o problema das candidaturas proporcionais?, afirmou o deputado estadual João Madson (PMDB/PI).

Enquanto isso, o deputado Cícero Magalhães diz que do lado da oposição não há nenhum problema, e que não podia ser diferente. Ele diz que ficou contente com as 30 vagas para deputados para a Assembleia Legislativa e a manutenção das 10 para a Câmara Federal.

?Na minha lógica, o que foi feito foi justiça. Algumas pessoas de forma desavisadamente que a retirada desses deputados para o nosso estado é coisa boa e não é, o nosso estado perderia representatividade. O nosso estado está hoje de parabéns. Portanto, foi feito Justiça! A constituição é muito clara, não pode haver redução de bancada. Mexer nessa bancada durante as eleições seria um absurdo?, afirmou o deputado Cícero Magalhães (PT/PI).

Quem foi muito festejada na Assembleia Legislativa foi a deputada Margareth Coelho, considerada uma defensora incansável como advogada, principalmente sobre a decisão da manutenção das bancadas na Assembleia e na Câmara Federal.

Nós passamos um período de muitas batalhas, de noites angustiantes, mas o que prevaleceu foi a Justiça, foi o direito e a constituição, pois discussões paralelas não cabem nessa seara. Cabe agora os partidos e coligações se organizarem e chamarem para si a responsabilidade?, disse Margareth Coelho (PP).

Fonte: Denison Duarte