Pela 1ª vez Dilma sofre queda de popularidade, revela pesquisa

Pela 1ª vez Dilma sofre queda de popularidade, revela pesquisa

Porcentual de brasileiros que avaliam seu governo como ótimo e bom passou de 65% no mês de março para 57% neste mês segundo Datafolha

Pela primeira vez, desde o início de seu mandato, há dois anos, caiu a popularidade da presidente Dilma Rousseff. O porcentual de brasileiros que avaliam seu governo como ótimo e bom passou de 65% no mês de março para 57% neste mês, segundo pesquisa realizada na quinta e sexta-feira pelo Datafolha.

O mesmo instituto também verificou que, apesar da queda da popularidade, Dilma continua aparecendo como favorita entre os prováveis candidatos à Presidência da República na eleição de 2014. Numa disputa ao lado de Marina Silva (Rede), Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB), a presidente teria 51% dos votos. Embora esse número represente uma queda de 7 pontos em relação à pesquisa anterior, em março, já seria suficiente para Dilma liquidar a eleição no primeiro turno.

A série histórica de pesquisas do Datafolha sobre a popularidade de Dilma mostra que ela havia oscilado dois pontos para baixo em agosto do ano passado. Mas, como a margem de erro utilizada pelo instituto é de dois pontos para mais ou para menos, ela não foi considerada. Agora, porém, a variação de oito pontos é significativa.

Economia. De acordo com a pesquisa divulgada ontem, a piora na imagem de Dilma está relacionada à questão econômica. A população está mais pessimista em relação ao quadro econômico do País. A preocupação com a inflação e o desemprego também é maior agora do que em levantamentos anteriores. Para 51% dos entrevistados, a inflação vai aumentar. Em março o índice era de 45%.

A perda da popularidade da presidente foi mais forte entre brasileiros que ganham mais de dez salários mínimos. Nesse grupo a queda foi de 24 pontos, segundo a pesquisa, que ouviu 3.758 pessoas em 180 municípios. Na divisão geográfica dos pesquisados, Dilma perdeu mais pontos na Região Sul: foram 13 pontos.

Empatados. Na pesquisa sobre a eleição presidencial, que mostrou Dilma com 51% das intenções de voto, o segundo lugar ficou com Marina Silva, com 16%.

É o mesmo porcentual que havia sido conferido à ex-senadora em março. Ela está tecnicamente empatada com Aécio Neves, que foi o único dos prováveis candidatos que cresceu em relação ao levantamento anterior: passou de 10% para 14%.

Uma vez que a margem de erro da pesquisa é de dois pontos, o Datafolha considera os dois candidatos tecnicamente empatados.

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos, apareceu em quarto lugar na pesquisa, com 6% das intenções das intenções de voto - o mesmo índice que havia obtido na pesquisa anterior.

Na Região Nordeste, onde a presidente teve seu melhor desempenho, de acordo com a pesquisa, as intenções de voto nela chegaram a 59%.

Na avaliação do Datafolha, o crescimento de Aécio foi impulsionado pelas recentes propagandas de seu partido, o PSDB, na TV e no rádio. Nessas aparições, o ex-governador de Minas deu ênfase à questão da inflação.

Fonte: msn