Perillo nega ter recebido dinheiro de assessores por casa

Perillo nega ter recebido dinheiro de assessores por casa

Presidente de Agência de Obras aparece como intermediário no negócio

O governador de Goiás, Marconi Perillo, negou, por meio de sua assessoria, ter recebido dinheiro da venda de sua casa das mãos do presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop), Jayme Rincón, ou do seu ex-assessor especial Lúcio Fiúza. De acordo com a assessoria de Perillo, os recursos provenientes da venda do imóvel, R$ 1,4 milhão, foram repassados ao governador em três cheques depositados em sua conta corrente.

Reportagem do jornal "O Globo" publicada nesta segunda-feira (11) mostra uma gravação da Polícia Federal de uma ligação telefônica entre Cachoeira e o ex-vereador de Goiânia Wladimir Garcez, apontado pela PF como um dos principais auxiliares do bicheiro e o principal elo de Cachoeira com o governo de Goiás.

Segundo "O Globo", Cachoeira participou da venda da casa e chegou a ordenar que o dinheiro fosse levado para o governador no palácio do governo. Nos diálogos, Garcez diz que irá se encontrar com o presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop), Jayme Rincón, para tratar da venda.

Perillo tem depoimento marcado para esta terça-feira (12) na CPI do Cachoeira, no Congresso Nacional, e a venda da casa deve ser o assunto mais explorado pelos parlamentares.

De acordo com a nota enviada pela assessoria do governo de Goiás ao G1, Jayme Rincón não participou da venda do imóvel. Ainda segundo a versão do governo, Rincón também já teria reafirmado, várias vezes, jamais ter se encontrado com Wladmir Garcez no Alpha Mall, shopping de Goiânia que, segundo as gravações, Garcez encontraria Rincón.

Ainda de acordo com a nota, as gravações citadas estão "editadas e confusas". E acrescenta que ?Jayme Rincón disse que se tivesse participado da venda da casa do governador não teria a menor dificuldade em confirmar isso, pois foi uma operação de um bem particular do governador, feita de forma transparente?.

Na versão do governo goiano, "a venda foi efetuada a preço de mercado; o produto da venda, depositado na conta corrente do governador; a escritura, lavrada pelo valor da venda; e a operação, declarada à Receita Federal."

A nota do governo goiano reitera ainda que os depoimentos dados à CPI do Cachoeira no Congersso não desmentem a versão do governador sobre a venda da casa e que ?só alguém desconectado dos fatos ou com clara intenção de não querer entender a operação pode levantar alguma dúvida sobre essa transação. Jayme Rincón nunca tratou da venda do imóvel com Wladmir Garcez ou com qualquer outra pessoa", conclui o texto.

Fonte: G1