Pesquisa do PMDB está pronta e reunião acontece segunda

O deputado estadual e presidente da Assembléia Legislativa, Themístocles Filho (PMDB), foi o escolhido para dialogar com os deputados oposicionistas

O deputado estadual e presidente da Assembléia Legislativa, Themístocles Filho (PMDB), foi o escolhido para dialogar com os quatro deputados oposicionistas do partido, Ana Paula, Mauro Tapety, Moraes Sousa Filho e João Mádison. O diálogo começou na semana passada e já possui um último e derradeiro prazo para a tentativa de convencer a ala à aderir ao bloco governista. A informação foi repassada pelo deputado estadual Kléber Eulálio. Ele adiantou ainda ao Jornal Meio-Norte que a pesquisa que definirá o caminho do PMDB ficou pronta ontem.

?Delegamos ao Themístocles que conversasse com os colegas para saber as possibilidades dessa unidade. Ele falou com os deputados individualmente esta semana e no início da próxima tentará fechar um acordo com eles?, explica Kléber. O ex-secretário estadual de Governo destacou que apesar da pesquisa que aferiu a preferência dos eleitores e lideranças da sigla estar concluída, o resultado só poderá ser conhecido quando o presidente regional do PMDB, o deputado federal Marcelo Castro, estiver no Piauí. Castro encontra-se atualmente em Brasília e deve retornar no fim da semana.

A pesquisa, no entanto, é enfatizada por Eulálio como apenas um dos fatores que indicará para qual lado o PMDB cederá seu apoio oficial. Caso as desavenças entre os integrantes do partido prossigam, ressalta o deputado, a aliança da legenda nas eleições de outubro será decidida nas convenções partidárias, em junho. O parlamentar admite que o objetivo de quem está ao lado do governador Wilson Martins (PSB), é convencer os colegas oposicionistas e vice-versa, o que coloca a união perseguida pelos peemedebistas cada vez mais distante.

?Se chegarmos ao extremo de decidir no voto, será feito de forma civilizada, não em clima de guerra como da vez passada?, frisa, se referindo às convenções de 2006, onde o partido rachou em uma candidatura própria encabeçada pelo senador Mão Santa ao Governo estadual, paralelamente à aliança informal de segmentos da sigla com o PT do ex-governador Wellington Dias. (S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte