Petista se reelege presidente da Câmara e mantém maioria à Haddad

O vereador Toninho Vespoli (PSOL), também candidato, teve apenas o voto dele mesmo. Américo teve 50 votos.

A Câmara de São Paulo reelegeu na manhã deste domingo o presidente da Casa, José Américo (PT). O partido conseguirá o apoio dos demais e manter a maioria necessária para aprovação dos projetos do prefeito Fernando Haddad (PT) em 2014.

O vereador Toninho Vespoli (PSOL), também candidato, teve apenas o voto dele mesmo. Américo teve 50 votos.

A vitória de Américo ocorreu com o apoio do PSD de Gilberto Kassab, que também se manteve na vice-presidência. Só que no lugar de Marco Aurélio Cunha, assume Marta Costa, que será a primeira vice-presidente da Casa.

Para se manter à frente do comando da mesa diretora, Américo aceitou que o principal partido de oposição, o PSDB, se mantivesse na primeira secretaria, com Claudinho de Souza.

Um mês antes da eleição, o vereador Milton Leite (DEM) começou uma articulação para sua candidatura.

Sem a ajuda do PSD, que tem a terceira maior bancada da Casa --são oito vereadores contra 11 do PT e 9 do PSDB-- Leite desistiu da candidatura e fechou acordo para reeleger o petista. O partido de Leite, por outro lado, conseguiu emplacar a Corregedoria da Casa, com Sandra Tadeu.

Leite não compareceu à votação, assim como Aurélio Miguel (PR) e Abou Ani (PV). Ricardo Young (PPS) não votou para o cargo de presidente da Casa, mas chegou a tempo de votar para os demais cargos.

O PMDB, que também é da base de apoio de Haddad, deixará o comando da Corregedoria, com a saída de Rubens Calvo.

O pemedebista defendeu uma investigação contra o colega Aurélio Miguel (PR), que é investigado sob suspeita de receber propina de uma empreiteira. Ele nega e diz que as acusações são mentirosas. A investigação não foi adiante.

Américo, que foi responsável pela coordenação de comunicação da campanha de Haddad, assumiu a presidência em primeiro de janeiro com a missão de garantir maioria para aprovar projetos prioritários de Haddad.

O mais importante foi a votação do fim da taxa da inspeção veicular.

O PT conseguiu também garantir a maioria dos votos para a aprovação do polêmico reajuste do IPTU em até 20% para imóveis residenciais e 35% para os demais em 2014 --a Justiça barrou o aumento na última terça-feira.

A Câmara não conseguiu, porém, votar o Plano Diretor, outra prioridade.

Com R$ 17 milhões de verbas de publicidade previstas para 2013, Américo investiu em campanhas publicitárias em jornais e emissoras de TV para anunciar datas e horários das audiências públicas do Plano Diretor.

No ano que vem, o novo presidente deverá administrar um orçamento de aproximadamente R$ 600 milhões.

Fonte: Folha de São Paulo