PI:Presidente afastada Dilma Rousseff revela gratidão por eleitores

Dilma Rousseff vai discursar para a população e movimentos sociais.

Em entrevista para à Rádio Antares, do Governo do Estado, a presidente afastada, Dilma Rousseff (PT), que participará às 17 horas desta sexta-feira, 15 de julho, de manifestação em seu apoio e contra o impeachment na Praça Pedro II, no Centro de Teresina, afirmou que está muito feliz em poder visitar a capital piauiense novamente e que tem uma gratidão muito grande pelos eleitores do Piauí, Estado em que teve a segunda maior votação quando foi eleita.

Dilma Rousseff vai discursar para a população e movimentos sociais no ato público e receberá da Câmara dos Vereadores o título de cidadã teresinense, proposta pelo vereador Gilberto Paixão, e a Medalha ao Mérito Renascença do Piauí, a ser entregue pelo governador Wellington Dias (PT) e a Medalha ao Mérito Heróis do Jenipapo, que será entregue pelo prefeito de Campo Maior, Paulo Martins (PT). “Estou muito feliz em ir ao Piauí e quero dizer que tenho muita gratidão pelo eleitor do Piauí e me sinto devedora por conta desse voto. E tenho grande respeito pela parceria que construímos ao longo dos anos com o governo do nosso querido Wellington Dias”, disse.

Dilma Rousseff (Crédito: Reprodução)
Dilma Rousseff (Crédito: Reprodução)

Ela disse estar sofrendo um golpe, originado de articulações políticas, já que considera não ter cometido nenhum crime de responsabilidade. A líder declarou que a perícia do Senado afirma que ela não pode responder por crime de responsabilidade, e portanto, sofrer impeachment. “Nesse processo não sou eu que estou dizendo que não tem crime de responsabilidade, são vários fatos que comprovam isso claramente. Primeiro, o fato da própria perícia do Senado ter constatado que não tem pedalada porque eles chamam pedalada o atraso que o Tesouro Nacional teve ao repassar recursos do Plano Safra, tanto da agricultura comercial quanto da familiar. Esse atraso foi revertido antes que o ano fosse concluído. Eles então estavam chamando atraso de financiamento, como se o Banco do Brasil tivesse financiando o Tesouro. A perícia do Senado fala que não houve atraso porque a presidente não participou em nenhum momento desse processo, porque a Lei estabelece que não é o presidente que faz a operação dessa transferência, quem fazem são os técnicos e funcionários do Tesouro Nacional”, disse.

Para a presidente afastada, o processo de impeachment foi iniciado em razão de uma vingança de Eduardo Cunha (PMDB), ex-presidente da Câmara, que ameaçou aceitar o processo de impeachment na Câmara dos Deputados, caso o PT não votasse contra a aceitação do processo contra Cunha que passava pela Comissão de Ética. “A origem do golpe, que é esse processo fraudulento de impeachment, se originou de uma vingança do senhor Eduardo Cunha contra o meu governo porque nós nos recusamos a dar três votos que impediam a sua cassação na Comissão de Ética. Ele disse isso em todos os jornais; 'se vocês não me derem os três votos, eu aceitarei o processo de impeachment'. Então é muito difícil você dizer que há uma negociação possível nesse momento”, finalizou, na entrevista da rádio do Governo do Estado.

Fonte: Efrém Ribeiro