Denúncias marcam eleições 2010 no Piauí

Denúncias marcam eleições 2010 no Piauí

O eleitor piauiense vem acompanhando, pela mídia, uma “enxurrada” de denúncias

Faltando menos de um mês para a realização do pleito do dia 3 de outubro, o eleitor piauiense vem acompanhando, pela mídia, uma ?enxurrada? de denúncias sobre compra de votos no Estado. As especulações, já que muitas não são registradas junto ao Ministério Pú- blico Eleitoral, partem tanto de candidatos do lado governista como da oposição. Esta prática vem acirrando os ânimos dos candidatos e preocupando eleitores e a Justiça Eleitoral.

As denúncias partem desde candidatos a deputados até mesmo de quem concorre ao comando do Palácio de Karnak. O próprio governador Wilson Martins (PSB), que disputa a reeleição, já se manifestou sobre o grande número de denúncias. ?Esse abuso deve ser tratado pela Justiça Eleitoral o quanto antes. O eleitor deve denunciar essa prática e pensar bem antes de vo-tar?, declarou.

O deputado estadual Paulo Martins (PT) pediu ao TRE-PI que investigue as denúncias de compra de votos no Piauí.

Segundo ele, existe uma tabela de valores, que depende do número de habitantes da cidade e do cargo a que concorre o candidato. ?É verdade que há necessidade de se ter mais clareza e mais informações sobre as regras eleitorais, mas existem, também, aqueles que querem burlar as leis, por isso o TRE está fiscalizando o cumprimento de- las?, acentuou.

Na ?guerra? de denúncias, mesmo os candidatos que vêm denunciando acabam tornando-se alvo de acusações.

Wilson Martins, por exemplo, é acusado pelo ex-prefeito Sílvio Mendes (PSDB) de se utilizar da máquina pública, para favorecimento eleitoral. ?O Governo usou o que pertence a todos que é o dinheiro público para se beneficiar politicamente. É condenável usar a necessidade dos municípios para proveito político?, disse.

O procurador eleitoral, Marco Aurélio Adão, afirmou que a ?mera especulação? prejudica o processo eleitoral.

Segundo Adão, denúncias de forma genérica e sem indícios concretos ou sem provas passariam a imagem de que a Justiça Eleitoral não está trabalhando. ?A Justiça Eleitoral está agindo dentro das possibilidades, para apurar o que foi denunciado formalmente. Essa prática de denuncismo acaba gerando descrença nas instituições?, comentou.

Na disputa pelo Senado, que vem se mostrado uma das mais acirradas do Estado, os candidatos também denunciam a prática de venda de votos no interior do Piauí. ?Em toda a minha vida política nunca vendi voto para ninguém. O povo sempre me elegeu pelo trabalho que realizo pelo Piauí. Mas já recebemos denúncias de venda de voto?, declarou o candidato a reeleição Mão Santa (PSC).

O ex-governador Wellington Dias (PT) afirma que existe um verdadeiro ?leilão de votos?. ?A minha posição é taxativa, porque independente de qual seja o partido, independente do candidato, do meu lado ou da oposição, vou agir com rigor. Eu defendo que o voto seja limpo?, assegurou.

Fonte: Lídia Brito