Piauí e Acre ampliam parceria em fundo para a agroindústria

A área abrange cadeias de produção como aves, leite, peixes e mais

Os governadores petistas Tião Viana (AC) e Wellington Dias (PI) iniciaram na última semana, as tentativas envolvendo o entendimento com a Caixa Econômica para a participação da instituição no fundo de investimentos para o Piauí e Acre expandirem suas atuações nos setores abarcados pela agroindústria; nisso, a área abrange cadeias de produção como aves, leite, peixes, frutas, mediante o manejo sustentável.

Na ocasião, os gestores dialogaram com o vice-presidente corporativo da entidade, Antônio Carlos Ferreira, abarcando a ampliação do projeto, que já tem o aporte financeiro do Banco Nacional de Desenvolvimento Sustentável (BNDES), com captação no valor de R$ 200 milhões.

O fundo milionário desemboca na viabilização de um modelo de cooperativismo em que o pequeno produtor é apoiado por uma empresa âncora.

Ação parecida já é adotada no Acre, que tem executado um projeto focado na produção de peixes através do Complexo de Psicultura; nesse estreitamento, a ação se difunde na elevação dos indicadores socioeconômicos, possibilitando uma melhor qualidade de vida à população.

Ao final do encontro, Viana ressaltou a importância da iniciativa, convergindo para a celeridade no resultado das empresas dos dois Estados pela tecnologia e pelo que há de melhor no conhecimento das boas práticas produtivas.

A união entre os entes de duas regiões diferentes alçou o discurso do governador Wellington Dias, indicando para os benefícios angariados pelo fundo, nisso, a evolução não se restringe à produção, sendo difundida por distintos setores econômicos; caso a instituição financeira confirme a participação na ação, o chefe do Executivo local vislumbrou a multiplicação dos investimentos dispostos na agroindústria.

"É um momento histórico, a Caixa está buscando alternativas para que as pessoas com baixa renda não apenas saiam da miséria, mas também da pobreza e ascendam para a classe média", sintetizou.

Fonte: Francy Teixeira