Piauí escolhe novos prefeitos em 3 municípios

Os municípios de Francinópolis, Baixa Grande do Ribeiro, Pimenteiras e São Pedro do Piauí já escolheram os novos prefeitos

As eleições oficiais desse ano só acontecem em outubro, mas para três municípios piauienses essa data poderá ser adiantada. É o caso de Barras, onde o prefeito Manin Rêgo (PMDB) foi cassado em dezembro do ano passado por captação ilícita de sufrágio e abuso de poder político e econômico, mas só teve a decisão publicada ontem pelo Tribunal Regional Eleitoral do Piauí.

Manin garantiu que irá recorrer da decisão e acredita que aguardará o julgamento do mérito da ação na cadeira de prefeito. Após a publicação do Acórdão, o gestor municipal ainda tem três dias para tentar embargar a sentença. O presidente da Câmara Municipal deverá assumir a cadeira imediatamente.

O Tribunal cassou 25 prefeitos piauienses em 2009. Nos processos em que o vice também foi cassado e o gestor eleito conseguiu mais de 50% dos votos, foram determinadas novas eleições. Até o momento, os municípios de Francinópolis, Baixa Grande do Ribeiro, Pimenteiras e São Pedro do Piauí já escolheram os novos prefeitos. As cidades de Nossa Senhora dos Remédios e Isaias Coelho aguardam novas eleições.

JULGAMENTOS- O prefeito de Pedro II, Alvimar Oliveira de Andrade (PDT), teve a condenação anulada ontem pelo TRE-PI. Alvimar e o vice, Francisco Ewerton Brandão, respondiam à Ação de Impugnação de Mandato Eletivo por compra de votos e abuso de poder político nas eleições de 2008. A Corte decidiu, por quatro votos a três, que o processo deverá voltar para a primeira instância.

O gestor municipal já havia sido cassado uma vez pelo TRE e duas vezes pela Comarca. O relator do caso foi o juiz Walter Alencar Rebelo. Já o prefeito de Arraial, Numas Pereira (PDT) foi mantido no cargo por unanimidade. Numas era acusado de ter praticado captação ilícita do sufrágio e abuso de poder econômico no último pleito. O relator do processo foi o juiz Kássio Nunes Marques.

O deputado federal Ciro Nogueira (PP) responderá hoje ao processo sobre propaganda extemporânea em outdoors na capital. A ação foi movida pelo Ministério Público Eleitoral, através do procurador Marco Túlio Caminha Lustosa. (S.B.)

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte