Recursos: Piauí Fomento receberá emenda de R$ 2 mi

Recursos: Piauí Fomento receberá emenda de R$ 2 mi

O fundo vai trabalhar com projetos estruturantes.

As ações da Piauí Fomento serão ampliadas por meio da criação do Fundo de Investimento do Nordeste. O assunto foi discutido em uma reunião onde participaram o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social ? BNDES, Luciano Coutinho, o senador Wellington Dias (PT-PI), com presidente da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf), Guilheme Almeida e o presidente da Piauí Fomento Antonio Neto.

Na reunião foi tratada a criação do Fundo de Investimento do Nordeste, uma iniciativa inédita que já conta com o apoio de quatro fundos previdenciários do Branco do Brasil - Previ, Caixa Econômica Federal - Funcef, Petrobras ? Petros e da Vale - Valia e deve priorizar seis estados com menor desempenho econômico da região, dentre eles o Piauí. O fundo vai trabalhar com projetos estruturantes.

Durante o encontro foi anunciado, que a Piauí Fomento foi contemplada com uma emenda do senador Wellington Dias, no valor de R$ 2 milhões. Segundo Antônio Neto, os recursos serão repassados a Codevasf que fará a transferência para a Agência de Fomento via convênio. Os recursos serão utilizados para a elaboração de projetos de arranjos produtivos locais. ?A Piauí Fomento por ser uma agência de desenvolvimento, tem como uma de suas finalidades a elaboração de projetos para a geração de emprego e renda.?.

?Estivemos como presidente do BNDES, Luciano Coutinho, e a grande queixa é a dificuldade de bons projetos. Ele inclusive propôs a criação de uma Empresa Nordeste de Projeto, mas a Agência de Fomento pode cumprir esse papel?, observa o senador Wellington Dias.

Wellington Dias também defendeu o modelo de cooperativas implantado no Piauí, com experiências na produção de mel e caju (Casa Apis e Cocajupi), destacando a necessidade de investimento em pesquisa, assistência técnica e formação. ?O grande segredo dos investimentos que dão certo é a qualificação. Precisamos investir nisso nas mais diversas áreas, agricultura, gado leiteiro, avicultura, fruticultura, produção de soja, algodão, para citar alguns exemplos?, acrescenta.

Fonte: Sávia Barreto, Jornal Meio Norte