Piauí terá 108 projetos em novo leilão de energia da Aneel

A data do novo leilão de reserva está prevista para 28 de outubro

Vinculada à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) aprovou na terça-feira, 05 de julho, 108 projetos do Piauí para o segundo leilão de reserva, previsto para ocorrer em 28 de outubro deste ano. A divulgação das habilitações pela instituição seguem uma tendência que vem se fortalecendo nos últimos meses, em que o Estado aparece como protagonista do setor no país, assumindo a quinta colocação em número de ações selecionadas no Brasil.

Dos empreendimentos piauienses selecionados, 53 referem-se a eólicas e 55 são direcionados a energia solar fotovoltaica. A oferta demandada pelos projetos é de 3.756 MW. Na liderança do certame, como historicamente é registrado, se mantém a Bahia, totalizando 339 ações, com potência de 9.071 MW. Logo em seguida, aparecem o Rio Grande do Norte, com 206 empreendimentos eólicos e 56 fotovoltaico (6.728 MW); Rio Grande do Sul, onde só se habilitaram empreendimentos eólicos: 127 e capacidade instalada de 3.087 MW; além do Ceará, com 71 empreendimentos eólicos e 26 fotovoltaicos, respectivamente 1.955 e 746 MWs de capacidade instalada.

Considerando todas os Estados do Brasil são 799 projetos de energia eólica e 393 de energia solar fotovoltaica, somando 33.225 Megawatts em capacidade instalada. Mediante esse cenário, o secretário de Mineração, Luís Coelho (PHS), já havia sinalizado para o bom momento do Piauí no setor energético, emergindo como um dos maiores produtores nacionais. “Eu Sinto que hoje o Piauí caminha para ser um grande produtor de energia limpa na eólica e também na solar, a energia solar tem um atrativo muito grande que é atrair o micro e pequeno empresário, que a gente chama de micro e mini produção distribuída, já imaginou você produzindo sua própria energia e o Governo Federal lhe comprando o excesso que você produziu? É isso que vai acontecer no nosso Estado”, finalizou.

Repórter: Francy Teixeira

Fonte: Portal MN